SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Ogmo de Paranaguá devolve R$ 17 milhões a operadores portuários

Ogmo de Paranaguá devolve R$ 17 milhões a operadores portuários


Fonte: Portos e Navios (2 de setembro de 2021 )
Foto: Divulgação / Portos e Navios

 

O Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo) do Porto de Paranaguá, totalizou uma devolução de R$ 17 milhões aos operadores portuários superavitários, após a provisão do passivo trabalhista estimado e de operadores inativos.

 

É o quarto ano consecutivo que o órgão devolve valores superavitários do fundo, totalizando R$ 52 milhões. Nos anos anteriores, a devolução foi aos segmentos que estavam superavitários e, neste ano, como aprovado em assembleia, a devolução foi individual aos operadores portuários que atingiram seu valor de contribuição ao fundo.

 

O passivo, que era de R$ 400 milhões em 2013, agora está em R$ 150 milhões.

 

Em 2013, quando operadores tiveram suas contas bloqueadas em valores expressivos por conta de passivos trabalhistas decorrentes do ingresso de inúmeras ações judiciais propostas pelos trabalhadores portuários avulsos, houve a revisão do modelo de provisionamento do fundo trabalhista, depois que um estudo mostrou a viabilidade de cobrança de tarifa por tonelagem movimentada, o que deixou a arrecadação mais justa e as contas do OGMO/Paranaguá equilibradas.

 

A gestão profissional resultou na mitigação considerável dos problemas relacionados às ações trabalhistas. Em 2013, o passivo era de R$400 milhões; agora, o valor está reduzido a R$150 milhões, o que proporcionou a redução de contribuição para o fundo em 88%.

 

O novo formato de contribuição, que considera a tonelagem movimentada, mudou a estrutura organizacional da entidade com a adoção de prática de governança corporativa, individualização do passivo trabalhista por operador portuário e está garantindo a solidez financeira da entidade e o cumprimento das obrigações trabalhistas do Ogmo.

 

Em meio à devastação econômica causada pela pandemia, um alento: os resultados das exportações em 2021, alcançaram um dos melhores semestres da história. De acordo com dados levantados pelo Ministério da Economia, só nos portos de Paranaguá e Antonina as exportações conquistaram uma alta de 11% na comparação com os mesmos seis meses do ano passado, gerando uma receita de US$ 9,6 bilhões. Com esses resultados, a gestão da exportação se torna cada vez mais determinante. Paranaguá se destaca no movimento de grãos, cargas refrigeradas de proteína animal, automóveis, entre outros produtos de grande valor para o país. Para que toda essa engrenagem funcione perfeitamente para que vendedores e compradores tenham seus produtos no destino em segurança e com agilidade – um universo gigantesco se movimenta, a gestão da operação.


Mais lidas


  Na manhã desta quarta-feira (18), o Sopesp (Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo) recebeu em sua sede a visita do desembargador federal, Celso Ricardo Peel Furtado, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região.   O magistrado foi recebido com um café da manhã pelo presidente da entidade, Régis Prunzel, acompanhado […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais