SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Plano Climático da Marinha dos EUA visa reduzir emissões e passar para combustíveis com baixo teor de carbono

Plano Climático da Marinha dos EUA visa reduzir emissões e passar para combustíveis com baixo teor de carbono


Fonte: MarineLink (25 de maio de 2022 )
O USS Makin Island, um navio de assalto anfíbio implantado em 2009, usa sistemas híbridos da GE com turbinas elétricas e a gás natural ou diesel para aumentar a eficiência. (Foto: Marinha dos EUA)

 

A Marinha dos EUA divulgou na terça-feira uma estratégia climática que visa tornar a força mais resiliente a mudanças como aumento do nível do mar e erosão costeira, enquanto se move mais rapidamente para combustíveis de baixo carbono e motores híbridos para navios e aviões.

 

O plano Ação Climática 2030 faz parte do objetivo mais amplo do governo Biden de descarbonizar a economia até 2050.

 

“Ao construir uma força preparada para o clima, nossos marinheiros e fuzileiros navais poderão lutar e vencer em qualquer lugar do mundo em qualquer condição”, disse Meredith Berger, secretária assistente da Marinha para Energia, Instalação e Meio Ambiente, a repórteres.

 

As bases da Marinha em Norfolk, Virgínia e San Diego, Califórnia, e o Marine Corps Recruit Depot Parris Island, na Carolina do Sul, estão entre as instalações do Departamento de Defesa mais vulneráveis ??à elevação do nível do mar, altas temperaturas, inundações e incêndios florestais causados ??pelas mudanças climáticas.

 

O plano oferecia poucos detalhes sobre como reduzir amplamente as emissões ou mudar para combustíveis alternativos. Mas estimula as autoridades a relatar em 90 dias ao secretário da Marinha Carlos Del Toro maneiras de fortalecer a infraestrutura, adaptar-se ao clima e reduzir as emissões e o consumo de combustível.

 

Berger apontou para o USS Makin Island, um navio de assalto anfíbio implantado em 2009 que usa sistemas híbridos da GE com turbinas elétricas e a gás natural ou diesel para aumentar a eficiência, como um exemplo de maneiras de reduzir a dependência de combustível.

 

“A hibridização é algo com o qual vimos alguns bons resultados, mas também há muito desenvolvimento a ser feito em termos de tecnologia”, disse Berger.

 

O plano vem em um momento de aumento dos custos de energia para os militares, o maior usuário de combustível nos Estados Unidos. O controlador do Pentágono disse em uma audiência no Congresso no mês passado que o combustível custará às forças armadas US$ 3 bilhões a mais do que o planejado neste ano fiscal.

 

Como exemplo de eficiência, o plano citou a Base Logística do Corpo de Fuzileiros Navais em Albany, Geórgia, a primeira base do Departamento de Defesa a gerar mais energia do que consome, graças ao aproveitamento do combustível metano gerado por um aterro sanitário próximo, e vapor de uma planta industrial e energia solar e geotérmica.

 

A Marinha teve sucesso misto com a mudança para combustíveis alternativos. Em 2009, o serviço anunciou uma Grande Frota Verde com o objetivo de obter metade de seu combustível e energia de alternativas de combustíveis fósseis, como biocombustíveis avançados até 2020, mas ficou muito aquém do plano.

 

Meredith disse que a Marinha está trabalhando com a indústria de energia em um “estágio de pesquisa” para entender que tipos de combustíveis alternativos estão disponíveis, mas que o elemento principal é sempre garantir que a Marinha e o Corpo de Fuzileiros Navais “façam missão”.

 

Ela não tinha uma estimativa de quanto custaria o plano. O orçamento fiscal de 2023 da Marinha inclui US$ 718 milhões para combater as mudanças climáticas.

 

Mudar para combustíveis alternativos pode economizar dinheiro ao longo do tempo, disse Meredith.

 

“Não só vamos reduzir nossos custos, como também vamos diminuir nossa dependência, teremos fontes de combustível mais confiáveis”, disse ela.

 

(Reuters – Reportagem de Timothy Gardner Edição de Marguerita Choy)


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais