SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Exportação de soja e derivados deverá atingir o recorde de US$ 58 bi

Exportação de soja e derivados deverá atingir o recorde de US$ 58 bi


Fonte: Valor Econômico (10 de maio de 2022 )

Com revisões para cima sobretudo de preços, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) passou a projetar a receita das exportações do “complexo soja” (grão, farelo e óleo) em US$ 57,953 bilhões em 2022. O valor, recorde, é US$ 6,51 bilhões superior ao que ainda estava previsto pela entidade em março e, se confirmado, representará um aumento de 20,7% em relação ao ano passado (US$ 48,022 bilhões).

 

Soja em grão

Para o grão, a Abiove agora estima receita de US$ 46,32 bilhões, fruto de embarques de 77,2 milhões de toneladas a um preço médio de US$ 600 por tonelada. Os cálculos anteriores indicavam US$ 41,181 bilhões (77,7 milhões de toneladas, a US$ 530 por tonelada), e em 2021 foram US$ 38,636 bilhões (86,108 milhões de toneladas, a US$ 449 por tonelada).

 

Farelo de soja
No caso do farelo, o cenário atual para 2022 indica US$ 8,51 bilhões, com vendas de 18,3 milhões de toneladas e preço médio de US$ 465 por tonelada. Em março, ainda eram US$ 8,052 bilhões (18,3 milhões de toneladas, a US$ 440 por tonelada), e no ano passado o montante atingiu US$ 7,37 bilhões (17,21 milhões de toneladas, a 428 por tonelada).

 

Óleo de soja
Para o óleo, a Abiove revisou sua projeção de receita das exportações para US$ 3,123 bilhões, resultado de 1,8 milhão de toneladas embarcadas a US$ 1.735 por tonelada. Em março, o quadro traçado indicava US$ 2,21 bilhões (1,7 milhão de toneladas, a US$ 1.300 por tonelada), e em 2021 o valor chegou a US$ 2,017 bilhões (1,651 milhão de toneladas, a US$ 1,222 por tonelada).

 

Cotações em alta
Os ajustes de preços acompanham as curvas observadas no mercado internacional desde o início do ano e confirmam as avaliações dos analistas de que não deverá haver quedas dignas de nota nos próximos meses, tendo em vista a menor oferta do grão no Brasil, na Argentina e no Paraguai, por causa de problemas climáticos, os reflexos da guerra na Ucrânia nos mercados de trigo e milho e a demanda aquecida.

 

A tendência de aumento de área plantada nos EUA em 2022/23 não tem sido suficiente para derrubar as cotações. O Brasil lidera a produção e as exportações globais de soja em grão, com os americanos em segundo lugar.

 

Colheita e processamento
Também no novo relatório que divulgou nesta terça-feira, a Abiove ajustou sua estimativa para a colheita da oleaginosa em 2021/22 no Brasil para 125,4 milhões de toneladas, 9,7% menos que em 2020/21. O processamento neste ano foi mantido em 48 milhões de toneladas, pouco acima de 2021, com produções de 36,685 milhões de toneladas de farelo e 9,7 milhões de toneladas de óleo.


Mais lidas


Celebramos hoje (12) o Dia Internacional da Enfermagem, data escolhida em homenagem ao aniversário de Florence Nightingale, considerada a pioneira da enfermagem moderna.   Para quem não sabe, a profissão tem origem milenar e data da época em que ser enfermeiro era uma referência a quem cuidava, protegia e nutria pessoas convalescentes, idosos e deficientes. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais