SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   ESG e Transformação Digital: Copersucar compartilha experiências em evento do setor

ESG e Transformação Digital: Copersucar compartilha experiências em evento do setor


Fonte: Copersucar (9 de maio de 2022 )

“O sucesso da transformação digital está em transformar antes de ser digital, em outras palavras, a transformação digital passa primeiro pela mudança de postura e de processos”. Esta é a visão que o gerente-executivo de Tecnologia e Processos da Copersucar, Dalbi Arruda, compartilhou em um recente Webinar que discutiu o ESG nas usinas e a transformação digital como fator estratégico. ESG é o termo em inglês que denomina posturas corporativas que são socialmente responsáveis, ambientalmente sustentáveis e corretas do ponto de vista de governança.

 

Na visão do executivo, a jornada para a digitalização vai além da aplicação da tecnologia nos processos internos da empresa, ela deve contribuir com o desempenho e a modernização nas bordas do sistema, e muitas vezes indo adiante. Parte desta visão estratégica tem origem no papel desempenhado pela Copersucar, através da sua liderança e protagonismo relevante no mercado nacional e internacional, incluindo as suas investidas, passando pela ampla operação logística, interação com mercado financeiro e com as indústrias, que a colocam como ponto de referência no setor.

 

Ao trazer o ESG para a discussão, Dalbi explica que este é um tema que já faz parte do processo, intrínseco ao negócio e à Copersucar, declarado desde os níveis mais altos de entendimento da companhia, o que inclui o seu propósito de conectar o campo ao mundo, levando energia renovável e alimento natural, combinada a uma visão de mundo com um claro caminho para uma economia de baixo carbono. “Para nós, o tema ESG é muito mais do que do que ‘estar em compliance’ com uma ou outra questão externa, é um assunto estratégico de negócio”, enfatizou o executivo que ainda lembrou que todas as usinas associadas da Copersucar são certificadas no RenovaBio e escrituram um volume muito importante de créditos verdes no mercado, mostrando o comprometimento com o tema.  Ele revelou também que neste momento a companhia está fazendo um inventário de emissões da cadeia estendida, chegando até as usinas sócias, buscando evidenciar todo impacto positivo gerado pelo ecossistema.

 

Na conversa, Dalbi destacou que inovar é muito mais do que só transformação digital. O setor sucroenergético, por exemplo, é muito inovador desde os seus primórdios, não apenas digitalmente. Ele inovou em práticas de manejo, de cultivo, em equipamentos, genética de variedades, entre outros. Por outro lado, a transformação digital exige um profundo conhecimento, para responder os desafios de forma eficiente. Trata-se de um processo de recriação, nas melhorias dos procedimentos e na habilitação de novos modelos de negócios. “É aí que nós buscamos transformação digital, para acharmos e implementarmos formas diferentes de um negócio acontecer através da tecnologia ou da mudança dos processos”, acrescenta.

 

Indo além da porteira: digitalizando as interfaces

Segundo Dalbi, é natural perseguir a eficiência nos processos dentro do negócio. O que a Copersucar está se propondo a fazer agora é olhar para seu papel como uma integradora, uma plataforma que habilita a performance dos parceiros e sócios, e a partir desta visão explorar as oportunidades nessas interfaces, avaliando também a digitalização nas bordas, e além das suas bordas. Isso permitirá criar serviços, inovar nas relações, descobrir oportunidades e gerar valor ao ecossistema.

 

A empresa é uma plataforma integrada conectada à players de todos os lados da cadeia do setor sucroenergético, com capacidade para interligar a produção das usinas com os clientes e mercados, mas também com os serviços das outras empresas investidas, do setor financeiro, dos operadores logísticos e parceiros de tecnologia. “A gente quer ser cada vez mais essa plataforma integrada que possibilita esta conexão”, completa.

 

A Copersucar se lançou nesta jornada com a robotização e aplicação de plataforma de APIs, sigla em inglês para designar interfaces de programação de aplicações. “O processo de robotização não é algo inovador, mas a gente se desafiou a robotizar processos que pudessem fazer algo por nós e pelos nossos clientes, pelas usinas, pela logística, por em prática alguns robôs que fossem além da tarefa”.  Hoje, por exemplo, já existe um robô que é capaz de receber um e-mail do cliente, entender a solicitação, montar a resposta e devolver para o cliente aquela informação que ele estava precisando naquele momento, sem precisar ficar esperando. Outro robô que se destaca na atuação nas bordas é um dispositivo que se integra com os clientes da Copersucar e recebe deles as programações de carregamento, verificando se as informações prestadas estão dentro do que era esperado, já preparando a criação de todo o planejamento daquele embarque e fazendo uma devolutiva para esse cliente do resultado.  “O plano é que estes robôs possam estender seus braços e chegar dentro da casa dos clientes. O nosso objetivo é que o robô termine a tarefa dele lá, porque na hora que ele recebe o meu retorno, ele certamente faz algo com aquilo”.

 

Dalbi conta que a companhia terá foco na transformação digital nas bordas, nas interfaces, e nesta avaliação, o barramento digital Copersucar é uma plataforma, um conjunto de serviços digitais, que tem o objetivo de inovar e criar essas relações cada vez mais digitais.

 

Para acompanhar a apresentação completa do executivo da Copersucar sobre transformação digital, basta acessar o vídeo disponibilizado no You Tube.


Mais lidas


Celebramos hoje (12) o Dia Internacional da Enfermagem, data escolhida em homenagem ao aniversário de Florence Nightingale, considerada a pioneira da enfermagem moderna.   Para quem não sabe, a profissão tem origem milenar e data da época em que ser enfermeiro era uma referência a quem cuidava, protegia e nutria pessoas convalescentes, idosos e deficientes. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais