SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Retomada de cruzeiros pós-pandemia vai gerar emprego e renda no país, aponta debate

Retomada de cruzeiros pós-pandemia vai gerar emprego e renda no país, aponta debate


Fonte: Rádio Senado (6 de abril de 2022 )
Getty Images/iStockphoto/direitos reservados

 

 

Um dos setores mais atingidos com a pandemia da covid-19 foi o do turismo, que viu seus números despencarem com a necessidade do isolamento social ao redor do mundo. Com o chegada da vacina e a adoção de rígidos protocolos sanitários, o cenário começa a melhorar. Essa foi uma das conclusões do debate  “O impulso do setor de cruzeiros à atividade turística : perspectivas e desafios no pós- Ômicron”, promovido pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo. Antes da pandemia, o segmento de navios e cruzeiros apresentava uma das maiores taxas de crescimento no turismo mundial. Em 2018, 28,5 milhões de viajantes desfrutaram dessa modalidade de turismo, de acordo com a Associação Internacional de Cruzeiros. Já em 2019, esse número ultrapassou os 30 milhões de passageiros, com geração de receitas superiores a US$154 bilhões. A participação do Brasil, embora discreta, era muito significativa para a atividade turística no país. O presidente da comissão, senador Fernando Collor, do PTB de Alagoas, lembrou que a temporada de cruzeiros foi retomada em março.

 

Um país como o Brasil, com extenso litoral, rico em atrativos naturais e culturais, merece um setor de cruzeiros pujante, dinâmico na geração de renda e de emprego para os brasileirosPara o setor de cruzeiros se tornar um vetor central do turismo no Brasil, será fundamental ampliar os investimentos na melhora da eficiência e da oferta de infraestrutura portuária.

 

Segundo o “Estudo de Perfil e Impactos Econômicos de Cruzeiros Marítimos no Brasil”, temporada de novembro de 2019 a março de 2020, publicado pela Fundação Getúlio Vargas, os oito navios que operaram na costa brasileira naquele período transportaram aproximadamente 470 mil viajantes. Naqueles cinco meses, que correspondem praticamente ao verão no Hemisfério Sul, o setor gerou 33 mil empregos, R$296 milhões em tributos e R$2,24 bilhões em receitas. Estima-se que cada R$1 investido no setor movimentou R$4,63 na economia nacional. O presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos, Marco Ferraz, destacou o impacto econômico da nova temporada.

 

A gente pôde ofertar 193 mil leitos aqui no Brasil, mas a gente deve ter um número que gere mais de um bilhão de reais nessa temporada para a economia brasileira e quase  14 mil empregos.

 

Já o representante da Anvisa, Alex Machado Campos, ressaltou a importância dos protocolos sanitários adotados.

 

Os ambientes de navio são ambientes mais sensíveis, como todo ambiente confinado. Mas a gente provou, durante o período da pandemia, que é possível, a depender do cenário epidemiológico – com um cenário epidemiológico menos crítico, com menos internações, com a ampliação da vacinação, com a ampliação do número de testagem –, conviver, sim, com protocolos que viabilizem a atividade.

 

Também participaram da discussão representantes do Ministério do Turismo e da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer de Maceió. Da Rádio Senado, Pedro Pincer.


Mais lidas


Celebramos hoje (12) o Dia Internacional da Enfermagem, data escolhida em homenagem ao aniversário de Florence Nightingale, considerada a pioneira da enfermagem moderna.   Para quem não sabe, a profissão tem origem milenar e data da época em que ser enfermeiro era uma referência a quem cuidava, protegia e nutria pessoas convalescentes, idosos e deficientes. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais