SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   “O Brasil vai ser um dos países com a infraestrutura mais privada do mundo”, diz Tarcísio

“O Brasil vai ser um dos países com a infraestrutura mais privada do mundo”, diz Tarcísio


Fonte: MInfra (8 de dezembro de 2021 )

O investimento privado vai trazer eficiência e vai ser a forma de trazer investimento para o setor exonerando o orçamento público e assim dar um salto em termos de infraestrutura, avaliou nesta terça-feira (7) o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O ministro participou – por videoconferência –, no painel Raio-X da Infraestrutura: Transporte e Logística realizada pela Abdib Experience Edição 2021, evento que reúne representantes do setor privado para discutir o desenvolvimento da infraestrutura brasileira.

 

Com os 79 leilões realizados pelo Ministério da Infraestrutura e aproximadamente R$ 100 bilhões de investimentos contratados, Tarcísio Freitas exaltou mais uma vez o programa de concessões do governo federal e os leilões previstos ao longo do ano de 2022.

 

“O programa tem sido extremamente bem-sucedido. Esses leilões vão ser importantes para que nos próximos anos a gente observe o crescimento do investimento em infraestrutura. Vai ser um crescimento importante, talvez a gente ainda não atinja o ideal, mas com certeza vamos crescer muito e a infraestrutura vai ser uma alavanca para o ganho de produtividade, para geração de emprego e para o crescimento. O Brasil vai ser um dos países com a infraestrutura mais privada do mundo. E isso vai ser uma ponte para que o investimento chegue e a infraestrutura se transforme”, afirmou.

 

Estão previstos para 2022, o leilão da BR-381/262/MG/ES e BR-116/493 (Rio-Valadares) e das rodovias integradas do Paraná, com mais de R$ 44 bilhões em investimentos e 3.300 km de concessão dividido em 6 lotes; o leilão da Companhia de Docas do Espírito Santo (Codesa) que será a primeira privatização portuário do país; e a 7ª rodada de leilões de aeroportos com Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ).

 

Sustentabilidade

Um ponto importante dos projetos é a sustentabilidade ambiental aliada com o desenvolvimento logístico. Segundo o ministro, o Minfra tem estruturado os projetos com objetivo duplo. O primeiro mitigar o risco de imagem daqueles investidores que pretendem ingressar no Brasil e o segundo obter novas formas de financiamento, o mercado de títulos verdes (green bonds).

 

“Temos todo um olhar na estruturação do projeto que cada vez mais consideram os princípios do Equador. Recentemente fizemos o primeiro leilão de Carbono Zero, que foi justamente o leilão da Dutra, onde a concessionaria vai neutralizar as suas emissões e isso vai ser uma tendência a partir de agora. Os próximos leilões também deveram ser carbono zero”, garantiu.

 

Outros projetos

Freitas destacou ainda os projetos que tramitam para garantir a multimodalidade, entre eles o programa de renovações antecipadas das ferrovias; o Voo Simples, programa voltado para modernização e desburocratização da aviação brasileira; BR do Mar, de incentivo à cabotagem; e o de incentivo à navegação interior por meio do programa BR dos Rios.

 

O painel com o ministro Tarcísio Gomes de Freitas contou com o presidente da Ultracargo, Décio Amaral; o diretor de Relações Institucionais da Acciona Brasil, Jaime Juraszeck; e o diretor de Novos Negócios no Grupo CCR, Gustavo Lopes, e moderação da jornalista Raquel Landim, da CNN Brasil.

 

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura


Mais lidas


  Na última sexta-feira (08) o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (SOPESP) recebeu, na sua sede, o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (MInfra), Mario Povia.   Essa foi à primeira visita do secretário a entidade desde que assumiu a pasta, em maio deste ano, e […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais