SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Mercado   /   Nova variante do coronavírus e queda nos preços do petróleo podem limitar exportações em dezembro, diz Tendências

Nova variante do coronavírus e queda nos preços do petróleo podem limitar exportações em dezembro, diz Tendências


Fonte: Valor Econômico (2 de dezembro de 2021 )

Após o déficit de US$ 1,3 bilhão na balança comercial divulgado nesta quarta-feira (1º) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), a expectativa é que os saldos voltem em dezembro para o campo positivo. Em linha, entre outros fatores, com a sazonalidade menos favorável às importações e com a esperada retomada gradual dos embarques de carne bovina para a China, aponta a economista Yasmin Riveli, da Tendências, em boletim. A variante ômicron do coronavírus e a queda mais recente de preços de  petróleo, porém, podem limitar as receitas de exportação em dezembro, diz ela.

 

O resultado da balança de novembro veio um pouco pior do que o esperado pela Tendências, que estimava déficit de US$ 1,2 bilhão em novembro. A consultoria revisou recentemente a projeção de superávit comercial em 2021 para US$ 59,3 bilhões, de US$ 66,4 bilhões esperados anteriormente.

 

Para a Tendências, ômicron e queda mais recente de preços de petróleo podem limitar as receitas de exportação em dezembro — Foto: Silvia Costanti/Valor

 

Em novembro, diz Yasmin, na nota, o resultado das exportações ficou abaixo do ritmo de crescimento observado nos últimos meses. Apesar de manutenção de alta das receitas com óleos brutos de petróleo e soja, indica, houve queda das exportações de carne bovina em razão da suspensão das compras adotada pela China até meados de novembro.

 

No fim do mês, porém, lembra Yasmin, o país asiático anunciou a liberação da compra de lotes de carne que já tinham certificação sanitária antes do embargo. Por outro lado, a queda dos preços do petróleo, acompanhando a liberação das reservas emergenciais dos Estados Unidos e outros países, e a elevação das incertezas globais diante do surgimento da variante Ômicron devem limitar altas mais expressivas das receitas de exportação.

 

Yasmin também destaca, do lado das importações, alta de 53,1% em novembro, com desempenho impulsionado por adubos e fertilizantes, óleos combustíveis de petróleo e medicamentos. No curto prazo, aponta o boletim, as importações devem seguir impulsionadas pelas compras externas de adubos e fertilizantes químicos, em linha com o avanço do plantio das novas safras de soja e milho, além dos combustíveis, com a gradual volta da mobilidade interna.

 

Por outro lado, a sazonalidade negativa de dezembro, o recente recuo dos preços do petróleo, o menor ímpeto da atividade interna e o câmbio desvalorizado surgem como limitantes.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais