SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Pilotos e comissários aprovam paralisação

Pilotos e comissários aprovam paralisação


Fonte: Valor Econômico (25 de novembro de 2021 )
Movimento no aeroporto Santos Dumont, no Rio: empresas aéreas retomam operações após impacto da pandemia — Foto: Márcia Foletto/O Globo

 

Pilotos e comissários pretendem iniciar na segunda-feira uma paralisação parcial das atividades em todo o país, diante da falta de acordo com as companhias aéreas sobre a nova convenção coletiva de trabalho da categoria.

 

De acordo com o aprovado em assembleia ontem, a greve vai começar à 0h do dia 29 de novembro por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), em respeito à sociedade e aos usuários do sistema de transporte aéreo, os aeronautas farão a paralisação de 50% dos tripulantes por dia, enquanto os outros 50% permanecerão em serviço.

 

O setor tem papel central no transporte de insumos para o combate à pandemia – como a própria vacina.

 

Os aeronautas rejeitaram, em votação no dia 17 de novembro, a proposta feita pelas companhias aéreas para renovação da convenção coletiva. “O pleito é, simplesmente, a recomposição inflacionária dos últimos 24 meses. Haja vista que a categoria aceitou reduções de salários desde o início da pandemia e é boa a situação das empresas nesse momento de retomada. A Azul tem a maior liquidez da sua história, a Gol efetuou a maior desalavancagem desde sua fundação e a Latam atingiu a maior redução de custo em mais de 10 anos”, disse Ondino Dutra, presidente do SNA.

 

Os aeronautas pediram reajuste considerando o INPC dos últimos 24 meses. Já o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) argumenta que desde o início da pandemia as empresas aéreas acumulam um prejuízo bilionário e trabalham na retomada das operações para restabelecer patamares pré-crise.

 

Segundo o SNA, a entidade patronal propôs flexibilizar diversos itens da convenção coletiva.

 

Procurado para comentar o assunto, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) não retornou até o fechamento desta edição. Gol e Azul não se manifestaram. A Latam informou que tomou conhecimento da decisão dos aeronautas e que acompanha os desdobramentos do movimento.

 

“A companhia, por meio do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), segue empenhada em buscar o entendimento com todos os tripulantes para que seja possível superar de forma conjunta as consequências da pandemia, sobretudo neste momento importante de retomada do setor aéreo”, afirmou a Latam, por meio de nota. “A Latam reitera ainda que todos os seus voos programados para a próxima semana estão mantidos e informará prontamente se houver qualquer alteração”.

 

As companhias aéreas estão retomando gradativamente a operação depois de serem fortemente impactadas pela pandemia. Em meados de junho deste ano a Azul já conseguiu atingir 100% da oferta doméstica que tinha em 2019, antes da crise sanitária. Já a Latam espera retomar por completo a oferta doméstica até o fim deste ano, com estimativa de crescer 5% em janeiro contra igual mês de 2019. Na Gol, o cenário é de se aproximar ao pré-pandemia também no fim deste ano.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais