SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Europa reage à nova onda de covid-19 com lockdowns e cerco aos não vacinados

Europa reage à nova onda de covid-19 com lockdowns e cerco aos não vacinados


Fonte: Valor Econômico (19 de novembro de 2021 )
Áustria foi o primeiro país a reimplantar um lockdown total — Foto: Lisa Leutner/AP

Diante de novos recordes de casos de covid-19, vários países da Europa estão apertando as restrições contra o vírus, redefinindo estratégias para incentivar a vacinação e retomando a testagem em massa da população. A Áustria anunciou nesta sexta-feira que terá um lockdown nacional por 10 dias a partir da próxima semana. É o primeiro país da região a reintroduzir um confinamento geral para combater o aumento nos contágios.

Apesar do agravamento da crise sanitária, analistas avaliam que as restrições mais recentes não devem levar a região a uma nova contração. No entanto, as medidas devem desacelerar a recuperação e ter um impacto negativo sobre o sentimento de empresas e consumidores. A expectativa de que mais países sigam os passos da Áustria deve ajudar o Banco Central Europeu (BCE) a resistir às pressões para apertar a política monetária em breve.

 

As autoridades europeias também já estão avaliando planos para apoiar as economias durante os novos confinamentos. Na própria Áustria, o governo decidiu prorrogar um pacote de apoio aprovado em meio à pandemia até março de 2022, disponibilizando bilhões de euros em ajuda para empresas e trabalhadores afetados pelo lockdown.

 

Veja como está a situação da covid-19 em alguns países da Europa:

 

Áustria
A partir de segunda-feira (22), o comércio não essencial será fechado e a mobilidade será reduzida para toda a população. A circulação só será permitida em casos específicos. O país foi o primeiro a anunciar um lockdown para pessoas não vacinadas, mas avaliou a medida como insuficiente e decidiu por um confinamento total.

 

Alemanha
O país vem registrando recordes de novos casos de covid-19. O governo de Merkel anunciou que, nas regiões onde as taxas de hospitalizações estiverem mais altas, o acesso a locais públicos, comércio e outros eventos será restrito a pessoas vacinadas ou recuperadas de uma infecção. Para usar o transporte público nesses locais ou ir ao local de trabalho, será necessário apresentar um teste com resultado negativo. A premiê vem defendendo publicamente as restrições há alguns dias e não descarta um lockdown.

 

Grécia
A partir de segunda-feira, as pessoas que não se vacinaram serão proibidas de entrar em espaços públicos. Pela regra grega, nem o teste negativo será aceito. Para acessar ambientes fechados, a vacinação é obrigatória. Cerca de 62% dos gregos estão totalmente vacinados contra a covid-19, um índice baixo em relação a outros países da União Europeia.

 

República Tcheca
O país também estabeleceu um confinamento para pessoas não vacinadas. A medida começa a valer na próxima segunda e exigirá o passaporte de vacinação em restaurantes, eventos culturais e esportivos. Além disso, o governo anunciou um esforço para uma testagem em massa da população por pelo menos três meses. Com 10,7 milhões de habitantes, o país tem registrado mais de 20 mil novos casos por dia.

Eslováquia
Também na próxima segunda, os eslovacos não vacinados não poderão mais frequentar eventos, bares, restaurantes e comércio em geral. Para trabalhar, quem não se vacinou terá que se submeter a testes periódicos. Os números do início desta semana mostraram que mais de 81% dos hospitalizados não foram totalmente vacinados. A taxa de vacinação é uma das menores da Europa, com apenas 45% da população totalmente imunizada.

 

Suécia
A partir do dia 1º de dezembro, o país passará a exigir o passaporte da vacina em eventos fechados com mais de 100 pessoas. Há dois meses, a Suécia eliminou as restrições adotadas por causa da pandemia. O país tem 67% da população totalmente imunizada.

 

França
A apresentação do certificado de vacinação é exigida no país para o ingresso em locais públicos, como teatros, bares e restaurantes. Esta semana, a França registrou 60% mais casos do que na semana passada. O presidente Emmanuel Macron, por enquanto, descarta um novo confinamento. Quase 70% dos francesas já estão totalmente vacinados.

 

Holanda
Bares e restaurantes estão fechando mais cedo até o início de dezembro, pelo menos, e o comprovante de vacinação, de recuperação ou teste negativo são obrigatórios para entrar nesses estabelecimentos. Há uma semana, o governo anunciou um confinamento parcial de três semanas. Eventos foram cancelados e os horários do comércio foram reduzidos.

 

Itália
Com mais de 73% da população totalmente vacinada, a Itália voltou a registrar mais de 10 mil casos diários, algo que não acontecia desde maio. Mesmo assim, o país praticamente não tem medidas restritivas em vigor. Apenas a apresentação do certificado de vacinação, recuperação ou teste negativo é obrigatório desde meados de outubro.

 

Portugal
O país exige o certificado de vacinação para entrar em casas noturnas, grandes eventos e viagens. A partir de hoje, Portugal volta a oferecer os testes gratuitamente nas farmácias. Portugal tem uma das mais altas taxas de vacinação do mundo – quase 87% estão totalmente imunizados.

 

Espanha
O país eliminou quase todas as restrições e foca no reforço da vacinação. Algumas regiões, como a Catalunha, exigem a apresentação do comprovante de vacinação e limitam a capacidade de bares e casas noturnas. O número de casos aumentou 50% nas últimas duas semanas e a taxa de vacinação está beirando os 80% há semanas.

 

Bélgica
O país passou a exigir que empresas mantenham seus funcionários em casa quatro dias por semana, quando possível, e ampliou a exigência do uso de máscaras em ambientes fechados. O passaporte da vacina também é exigido no comércio. O país passou de 70% da população totalmente vacinada no final de agosto e, hoje, tem cerca de 74%.

 

Dinamarca
Depois de suspender todas as restrições no início de setembro, o país voltou a exigir o passaporte de vacinação para frequentar lugares públicos e eventos com mais de 200 pessoas. Cerca de 76% dos dinamarqueses já estão totalmente já estão totalmente vacinados.

 

Noruega
O país vai endurecer o controle nas fronteiras, passando a registrar todas as entradas, com o objetivo de conter a alta de casos. Cerca de 70% dos noruegueses já estão totalmente vacinados. As autoridades de saúde tentam conter o aumento das hospitalizações de pessoas não vacinadas e já miram as festas de fim de ano.

 

Romênia
Pessoas não vacinadas devem cumprir um toque de recolher às 21h. O acesso à maioria dos locais, excluindo supermercados e farmácias, só é permitido para pessoas vacinadas ou recuperadas. O país já enfrenta lotação nos hospitais e tem uma das taxas de vacinação mais baixas da Europa – apenas 30% dos romenos tomaram a vacina.

 

Rússia
Para acelerar a campanha de vacinação, o governo de Vladimir Putin anunciou recentemente que aplicará novas restrições, limitando a entrada em espaços públicos e as viagens a pessoas vacinadas, que se recuperaram da covid-19 ou que não possam se imunizar por razões médicas. Menos de 40% dos russos estão totalmente vacinados contra a doença, apesar de a Rússia ter sido um dos primeiros países a desenvolver um imunizante.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais