SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   CMA CGM e Engie fazem parceria para desenvolver biocombustíveis e sintéticos

CMA CGM e Engie fazem parceria para desenvolver biocombustíveis e sintéticos


Fonte: The Marítime Executive (11 de novembro de 2021 )
CMA CGM terá 44 navios operando com GNL bicombustível até 2024 (Foto: CMA CGM / Divulgação Maritime Executive)

 

A CMA CGM, principal armadora francesa, está formando uma parceria estratégica e industrial com a empresa de energia francesa Engie para se concentrar no desenvolvimento de combustíveis neutros em carbono. O foco será na produção e distribuição de metano sintético e BioLNG para uso pela indústria naval.

 

As duas empresas disseram que já foi lançado no porto de Marselha um projeto inicial de produção de biometano liquefeito (BioLNG) para embarque. As empresas trabalham em parceria com a Métropole Aix-Marseille-Provence e a TotalEnergies.

 

Como parte da cooperação de longo prazo, Engie também está trabalhando em outros projetos industriais de produção de metano sintético. De acordo com as empresas, esses projetos aproveitarão várias tecnologias, como a pirogaseificação ou metanação com hidrogênio verde e CO2 capturado. Pelo acordo, a CMA CGM terá a possibilidade de investir nesses projetos à medida que forem sendo desenvolvidos.

 

Trabalhando juntos, a CMA CGM e a Engie também conduzirão uma análise das regulamentações futuras, explorando seu impacto no desenvolvimento de uma indústria de produção e distribuição de metano sintético que pode ser usada pelo setor de transporte marítimo. As empresas disseram que também planejam envidar esforços para aumentar a conscientização sobre os benefícios do BioLNG e do metano sintético para a descarbonização da indústria naval.

 

A companhia marítima francesa está fazendo um grande investimento em GNL como uma estratégia para descarbonizar suas operações. A tecnologia dual-fuel gas-power desenvolvida pela CMA CGM e atualmente usando LNG já é capaz de usar BioLNG e metano sintético. A linha atualmente tem 20 navios “prontos para e-metano” equipados com motores bicombustível e operando com GNL. No final de 2024, isso terá aumentado para 44 embarcações de “e-metano”.

 

Por meio do uso de GNL, o CMA CGM Group relata que suas emissões gerais de carbono foram reduzidas em quatro por cento em 2020, com base em uma redução de seis por cento em 2019. O grupo relata que reduziu suas emissões de carbono por contêiner-quilômetro em 49 por cento desde 2008.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais