SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   China respondeu por 32,4% das exportações totais do agronegócio brasileiro em setembro, segundo dados da CNA

China respondeu por 32,4% das exportações totais do agronegócio brasileiro em setembro, segundo dados da CNA


Fonte: Comex do Brasil (28 de outubro de 2021 )

Brasília – Em setembro, 68,2%  das exportações do agronegócio brasileiro foram destinadas aos dez principais destinos. Entre eles, o principal país de destino das vendas externas do agronegócio foi a  China, com participação de 32,4% das exportações do setor. A União Europeia, segundo principal destino, correspondeu a 15,0%, e os Estados Unidos figuraram na terceira posição, com participação de 7,0%.

 

Completam a lista dos principais destinos o Japão (2,9%), Coreia do Sul (2,0%), Emirados Árabes Unidos (1,9%), Irã (1,9%);Vietnã (1,8%); Tailândia (1,7%); e Hong Kong (1,6%).

 

Na comparação entre setembro de 2021 frente ao mesmo período de 2020, houve aumento nas exportações para oito dos dez principais destinos de produtos do agronegócio brasileiro. Nesse sentido, destaca-se o desempenho das exportações para a China (+42,8%) e Emirados Árabes Unidos (+31,5%). Na contramão, as exportações para a Coreia do Sul e para o Vietnã apresentaram contração de 25,0% e 31,8%, respectivamente, em setembro de 2021 contra setembro de 2020.

 

Ao considerar o acumulado no ano até setembro, a maior variação positiva frente ao mesmo período de 2020 ocorreu nas exportações para o Irã (+98,3%), seguido do aumento para a Tailândia (+40,2%) e para os Estados Unidos (+28,4%). No caso iraniano o principal aumento se deu para açúcar de cana em bruto (+US$ 22,4 milhões), enquanto que para a Tailândia o aumento foi majoritário para a soja em grãos (+US$ 38,6 milhões). Já para os EUA o principal produto com aumentos expressivos foi a carne bovina in natura (+US$ 32,8 milhões).

 

Em setembro de 2021, 90,1% do total de US$ 3,3 bilhões exportado para a China concentraram-se em cinco produtos: soja em grãos (53,6%; US$ 1,8 bilhão), carne bovina in natura (21,0%; US$ 686,8 milhões); celulose (7,2%; US$ 236,9 milhões), açúcar de cana em bruto (4,2%; US$ 136,3 milhões) e carne de frango in natura (4,1%; US$ 135,6 milhões).

 

Entre os cinco produtos, destaca-se a carne bovina in natura, com crescimento de 131,3% em setembro de 2021 em relação ao mesmo mês de 2020 e soja em grãos, com elevação de 44,0%.

 

Participação no total exportado por países:  EUA 7,0%; China 32,4%; União Europeia 15,0%; Japão 2,9%;  Hong Kong 1,6%; Emirados Árabes Unidos 1,9%;  Irã 1,9%;  Vietnã 1,8%;  Coreia do Sul 2,0%.

 

Os principais produtos exportados para a União Europeia em setembro foram farelo de soja (21,7%; US$ 329,6 milhões), soja em grãos (15,7%; US$ 238,8 milhões), café verde (13,0%; US$ 197,9 milhões), sucos de laranja (8,5%; US$ 128,3 milhões) e milho (8,3%; US$ 125,7 milhões).

 

Juntos esses produtos representaram 67,3% do total de produtos do agronegócio vendidos para a região em setembro de 2021. Entre os produtos destacados, a maior variação positiva foi apresentada por soja em grãos, com crescimento de 260,5% frente ao mês de setembro de 2020 e sucos de laranja (+40,5%). Por outro lado, café verde e milho registraram queda na mesma comparação, -7,3% e -28,4%, respectivamente.

 

As exportações destinadas aos Estados Unidos apresentam uma concentração menor em relação à China e à União Europeia, com os cinco principais produtos respondendo por 43,2% das vendas totais: celulose (12,3%; US$ 87,1 milhões); café verde (12,1%; US$ 85,9 milhões); obras de marcenaria ou carpintaria (6,6%; US$ 47,2 milhões); carne bovina in natura (6,2%; US$ 44,1 milhões); e madeira perfilada (6,0%; US$ 42,9 milhões).

 

(*) Com informações da CNA


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais