SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Maior empresa de frete marítimo da China, Cosco amplia para 67% sua fatia no porto de Pireu

Maior empresa de frete marítimo da China, Cosco amplia para 67% sua fatia no porto de Pireu


Fonte: Valor Econômico (27 de outubro de 2021 )
Foto: Pixabay

A estatal China Cosco Shipping, a maior empresa de frete marítimo da China, aumentou sua participação no capital do maior porto da Grécia para 67%, o que dá à empresa o controle sobre um importante elo no projeto de infraestrutura Belt and Road Initiative (BRI, ou Rota da Seda) administrado pela China.

 

Um evento foi realizado na segunda-feira para marcar a conclusão da transferência para a Cosco de uma participação adicional de 16% no porto de Pireu, no Mar Mediterrâneo, um centro de navios porta-contêineres para a Europa, Oriente Médio e Norte da África.

 

A Cosco diz que o envolvimento da China no Pireu ajudou no desenvolvimento do porto, citando o aumento do tráfego de contêineres. Mas a presença chinesa continua controversa, tanto entre os locais que acusam a Cosco de não cumprir suas obrigações, quanto entre países como os Estados Unidos, que expressaram preocupação com possíveis usos militares.

 

A Cosco adquiriu uma participação de 51% na operadora Piraeus Port Authority em 2016 por cerca de 280 milhões de euros (US$ 326 milhões a taxas atuais). A companhia não deu detalhes sobre o investimento adicional.

 

Com a segunda fase de aquisição de ações, o transportador expandirá sua receita e lançará novas rotas de transporte para transformar o porto em um centro de distribuição de logística regional, disse o presidente Xu Lirong, de acordo com um anúncio na segunda-feira.

 

“A empresa pretende ajudar o porto de Pireu a fortalecer sua posição como um importante entreposto no Mediterrâneo e se tornar uma importante ponte de civilização, economia e amizade entre a China e a Grécia sob a Belt and Road Initiative”, disse o comunicado.

 

O acordo de 2016 estipulava que a Cosco receberia a participação adicional apenas se concluísse os investimentos no porto no valor de 300 milhões de euros até 2021. A lista de projetos prometidos incluía a ampliação da capacidade dos navios de cruzeiro e o incremento da infraestrutura de construção naval, mas a maioria permanece incompleta, informou o jornal inglês “Financial Times”.

 

O lado chinês culpa a burocracia grega e a resistência local. Os residentes do Pireu entraram com ações judiciais acusando a Cosco de não seguir os protocolos ambientais e de prejudicar o meio ambiente marinho local, informou o jornal.

 

Até o fim de junho, a Cosco havia investido em 36 portos em todo o mundo.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais