SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Agência realiza cerimônia de entrega do Prêmio ANTAQ 2021

Agência realiza cerimônia de entrega do Prêmio ANTAQ 2021


Fonte: ANTAQ (18 de outubro de 2021 )
Eduardo Nery (E) e Fábio da Veiga: premiação para o Porto de Itajaí – Foto: ANTAQ

 

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários realizou, na quinta-feira (14), a cerimônia de entrega do “Prêmio ANTAQ 2021” aos vencedores. A premiação está em sua quarta edição e tem por finalidade reconhecer as iniciativas que se destaquem por sua contribuição na melhoria da prestação de serviços de transportes aquaviários à sociedade, fomentar a pesquisa e a produção técnico-científica e disseminar as boas práticas de operação e gestão do setor.

 

Neste ano, foram entregues 39 prêmios nas categorias, distribuídos em quatro categorias: Desempenho Ambiental, Conformidade Regulatória, Iniciativas Inovadoras e Artigo Técnico-Científico.

 

O diretor-geral da ANTAQ, Eduardo Nery, lembrou os objetivos da criação do Prêmio ANTAQ:  “Com o Prêmio, que já é uma referência no setor de transporte aquaviário nacional, a Agência busca difundir as boas práticas ambientais de portos e terminais portuários, incentivar o atendimento às conformidades regulatórias por autoridades portuárias, terminais de uso privado e empresas que atuam nas navegações marítima e interior, promover a pesquisa e reconhecer os talentos do setor aquaviário”, destacou, ressaltando que o setor regulado contribui para o desenvolvimento do país, com investimentos e geração de emprego e renda.

 

A representante da empresa J. F. de Oliveira Navegação Ltda. e o diretor Adalberto Tokarski – Foto: ANTAQ

 

O diretor da Agência, Adalberto Tokarski, afirmou que “o IDA contribui para que as instalações portuárias busquem cada vez mais atender às conformidades ambientais, promovendo a sustentabilidade nas instalações portuárias públicas e privadas do país”. Segundo Tokarski, com o Prêmio ANTAQ, a Agência estimula ainda o surgimento de novas pesquisas e novos projetos, devido às categorias “Melhor Artigo Técnico-Científico” e “Iniciativas Inovadoras” e, agora também, o atendimento pelos regulados às conformidades regulatórias do transporte aquaviário. O diretor afirmou, ainda, que a Agência vem trabalhando em defesa da sustentabilidade e da multimodalidade.

 

Já a diretora da ANTAQ, Flávia Takafashi, ressaltou que a Agência sempre foi reconhecida por trabalhar pela prestação do serviço adequado pelas empresas reguladas. “O Prêmio ANTAQ é uma homenagem àqueles que cumprem as regras, contribuindo para que a Agência faça uma regulação cada vez mais eficiente.”

 

Durante a solenidade de abertura, o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, também destacou a importância da premiação, do trabalho da Agência e do segmento. “O Prêmio ANTAQ é um fomento e um incentivo à melhoria do setor, à concorrência e ao livre mercado. O setor portuário é fundamental para o nosso comércio exterior e vem crescendo, apesar da pandemia. É um setor resiliente”.

 

A diretora Flávia Takafashi e o diretor da Agemar – Foto: ANTAQ

 

Índice de Desempenho Ambiental

O Índice de Desempenho Ambiental (IDA) foi implementado pela ANTAQ em 2012 e é composto por 38 indicadores relacionados a conformidades legais e de boas práticas em gestão ambiental, saúde e segurança de operações em portos públicos e privados, sendo uma referência no setor aquaviário brasileiro. Para valorizar esse indicador, a Agência realizou a primeira edição do Prêmio ANTAQ, em 2016.

 

Neste ano, participaram do Prêmio 31 portos públicos e 92 terminais privados. O Porto de Itajaí (SC) foi o vencedor na modalidade “Maior Índice de Desempenho Ambiental entre os Portos Públicos”. Em segundo lugar, ficou o Porto de Paranaguá (PR) e, na terceira colocação, o Terminal Portuário do Pecém (CE).

 

Entre os Terminais de Uso Privado – TUP, o grande vencedor da modalidade “Maior Índice de Desempenho Ambiental foi o Terminal Marítimo Ponta da Madeira (MA). Em segundo lugar, ficou o TUP Porto Itapoá Terminais Portuários, de Santa Catarina, e na terceira posição Portonave – Terminais Portuários de Navegantes, também de Santa Catarina.

 

Para o superintendente do Porto de Itajaí, Fábio da Veiga, “fazemos uma gestão que se preocupa com os pequenos detalhes. E estamos focados, sim, na questão ambiental, que é fundamental para a nossa eficiência logística”.

 

Conforme a gerente de Meio Ambiente do Terminal Marítimo Ponta da Madeira, Marlene da Costa, “nossa premiação consolida um trabalho que vem sendo feito com disciplina operacional e com responsabilidade social e ambiental”.

 

Na modalidade “Maior Evolução Anual do Índice de Desempenho Ambiental Portos Públicos” da categoria Desempenho Ambiental – IDA, o primeiro lugar foi para o Porto de Natal (RN). Na segunda e terceira posições, ficaram os portos de Angra dos Reis (RJ) e de Recife (PE), respectivamente. Entre os TUPs, o vencedor foi o TMB – Terminal Marítimo de Belmonte (BA), seguido do Terminal Marítimo Ponta Ubu (ES) e do ATEM PVH (RO), na terceira posição.

 

Entre os indicadores que são avaliados pelo IDA, estão a situação da licença ambiental e a existência de licença de operação, quantidade e qualidade de técnicos no núcleo ambiental, prevenção de riscos, auditoria ambiental, ação de retirada de resíduos de navios, consumo e eficiência no uso de energia, monitoramento da fauna e da flora e planos de contingência de saúde.

 

Os resultados do IDA têm auxiliado na orientação de políticas setoriais, bem como permitido identificar medidas de gestão bem-sucedidas a serem compartilhadas entre as instalações portuárias, além de terem baseado estudos acadêmicos e técnicos.

 

Conformidade regulatória

O evento também premiou na categoria “Conformidade Regulatória”. Nessa categoria, 21 empresas foram premiadas em sete modalidades:  Navegação Interior, Navegação Marítima e Portos (públicos e privados) ao apresentarem, no quinquênio 2016-2020, as melhores conformidades regulatórias, conforme o novo modelo de perfil de risco da fiscalização da ANTAQ.

 

Na modalidade “Navegação Interior Longitudinal de Carga”, o vencedor foi a empresa J F de Oliveira Navegação Ltda. Na segunda colocação ficou a Cianport – Cia Norte de Navegação e Porto, e na terceira posição a Transportes Bertolini Ltda. Na modalidade “Navegação Interior Longitudinal de Passageiros e Misto”, o grande vencedor foi a empresa J. Célio Souza Fonseca- ME, seguido da Diniz Navegação Ltda., e da Empresa de Navegação Paiva Leão Ltda. segunda e terceira colocadas, respectivamente. Fechando as modalidades de Navegação Interior, a Amazonas Navegação Ltda. venceu o Prêmio ANTAQ 2021 na modalidade “Navegação Interior de Travessia”, seguida da empresa Zélia Silva Gonçalves – ME e da Valter Júnior Queiroz de Oliveira.

 

Na modalidade “Navegação Marítima de Cabotagem e Longo Curso”, da categoria “Conformidade Regulatória”, o primeiro lugar foi para Agemar Transportes e Empreendimentos Ltda. A empresa Lyra Navegação Marítima Ltda. ficou com a segunda posição e a Petrobras Transporte S.A. – Transpetro em terceiro lugar.

 

Na modalidade “Porto Organizado” da categoria, venceu a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (PR). Na segunda posição ficou a Companhia Docas de São Sebastião (SP), e em terceiro lugar a Companhia Docas da Paraíba (PB).

 

Na modalidade “Arrendamento”, ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares o TCP – Terminal de Contêineres de Paranaguá, Vale S/A. e Rocha Terminais Portuários e Logística S.A., respectivamente. VALE S.A. – Terminal da Ilha Guaíba – (TIG) em primeiro, lugar, seguido da VALE S.A. – Terminal Marítimo de Ponta da Madeira e da Hidrovias do Brasil – Vila do Conde S.A. foram os melhores na modalidade “Terminal Privado”.

 

Iniciativas Inovadoras/Artigo

Na categoria “Artigo Técnico-Científico”, o vencedor entre os 16 artigos inscritos nesta edição foi Carlos César Ribeiro Santos, que escreveu o trabalho “Uma Análise Comparativa do Transporte Marítimo Brasileiro por Cabotagem Utilizando a Teoria de Redes”. Em segundo lugar, ficou o artigo de Maurício Andrade Rambo, intitulado “Modelo Multicritério de Avaliação para Apoiar o Planejamento da Criação de um Selo de Qualidade da Movimentação de Cargas pelos Portos Terminais do Estado de Santa Catarina”. Luiz Gustavo Cruz Henriques da Silva obteve a terceira colocação com o artigo “Metodologia de Identificação e Gerenciamento de Riscos em Projetos de Dragagem Portuária: um estudo de caso em um porto brasileiro”.

 

Na categoria “Iniciativas Inovadoras”, venceu o trabalho intitulado “Aumento do Porte dos Navios nos Portos do Amapá – Parceria e diálogo em prol da eficiência portuária”, elaborado pela Praticagem do Amapá, Plataforma Logística do Amapá e Tanque de Provas Numérico da USP. Em segundo lugar ficou o projeto “Sistema Neutralizador de Odores no Embarque de Cargas Vivas”, elaborado pelo Pronave Agentes de Comércio Exterior. E o terceiro lugar foi para o trabalho “Remoção de Rocha Submersa através de Corte com Fio Diamantado em Canais de Acesso Hidroviários”, produzido pelo Porto Sudeste do Brasil e UMI SAN. Nesta categoria concorreram 18 trabalhos.

 

Premiados

CATEGORIA DESEMPENHO AMBIENTAL – IDA

Modalidade Maior Índice de Desempenho Ambiental 2020 – Portos Públicos

1º – Porto de Itajaí

2º – Porto de Paranaguá

3º – Terminal Portuário do Pecém

 

Modalidade Maior Índice de Desempenho Ambiental 2020 – TUP

1º – Terminal Marítimo Ponta da Madeira

2º – Porto Itapoá Terminais Portuários

3º – Portonave – Terminais Portuários de Navegantes

 

Modalidade Maior Evolução Anual 2020 – Portos Públicos

1º – Porto de Natal

2º – Porto de Angra dos Reis

3º – Porto de Recife

 

Modalidade Maior Evolução Anual 2020 – TUP

1º – Terminal Marítimo de Belmonte – TMB

2º – Terminal Marítimo Ponta Ubu

3º – Atem PVH

 

CATEGORIA: CONFORMIDADE REGULATÓRIA

Navegação Interior Longitudinal de Carga

1º – J F de Oliveira Navegação Ltda.

2º – Cianport – Cia Norte de Navegação e Porto

3º – Transportes Bertolini Ltda.

 

Navegação Interior Longitudinal de Passageiros e Misto

1º – J. Célio Souza Fonseca – ME

2º – Diniz Navegação Ltda.

3º – Empresa de Navegação Paiva Leão Ltda.

 

Navegação Interior de Travessia

1º – Amazonas Navegação Ltda.

2º – Zélia Silva Gonçalves – Me

3º – Valter Júnior Queiroz De Oliveira

 

Navegação Marítima de Cabotagem e Longo Curso

1º – Agemar Transportes E Empreendimentos Ltda.

2º – Lyra Navegação Marítima Ltda.

3º – Petrobras Transporte S.A. – Transpetro

 

Porto Organizado

1º – Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina

2º – Companhia Docas de São Sebastião

3º – Companhia Docas da Paraíba

 

Arrendamento

1º – TCP – Terminal de Contêineres de Paranaguá

2º – Vale S/A.

3º – Rocha Terminais Portuários e Logística S.A.

 

Terminal Privado

1º – Vale S.A. Terminal da Ilha Guaíba

2º – Vale S.A. Terminal Marítimo de Ponta da Madeira

3º – Hidrovias do Brasil – Vila do Conde S.A.

 

 CATEGORIA: ARTIGO TÉCNICO-CIENTÍFICO

1º – Uma análise comparativa do transporte marítimo brasileiro por cabotagem utilizando a Teoria de Redes (Carlos César Ribeiro Santos, Hernane de Borges Barros Pereira e Marcelo do Vale Cunha)

2º – Modelo multicritério de avaliação para apoiar o planejamento da Criação de um selo de qualidade da movimentação de cargas pelos portos e terminais do Estado de Santa Catarina (Maurício Andrade Rambo e Ademar Dutra)

3º – Metodologia de identificação e gerenciamento de riscos em projetos de dragagem portuária: um estudo de caso em um porto brasileiro (Luiz Gustavo Cruz Henriques da Silva; Fernanda Araújo e Felipe Ruggeri)

 

CATEGORIA: INICIATIVAS INOVADORAS

1º – Aumento do porte dos navios nos portos do Amapá – parceria e diálogo em prol da eficiência portuária (Praticagem do Amapá, Plataforma Logística do Amapá e Tanque de Provas Numérico da USP)

2º – Sistema neutralizador de odores no embarque de cargas vivas (Pronave Agentes de Comércio Exterior)

3º – Remoção de rocha submersa através de corte com fio diamantado em canais de acesso hidroviários (Porto Sudeste do Brasil e UMI SAN).


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais