SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   China também vive risco de racionamento de energia (o que pode abalar recuperação econômica)

China também vive risco de racionamento de energia (o que pode abalar recuperação econômica)


Fonte: Moneytimes (17 de setembro de 2021 )
A segunda maior economia do mundo pode não ter carvão e gás natural suficientes – usados para aquecer residências e operar fábricas (Imagem: REUTERS/Tingshu Wang)

 

China corre o risco de enfrentar outro inverno de escassez de energia que poderia abalar a recuperação econômica do país em meio à escassez global que impulsiona os preços dos combustíveis.

 

A segunda maior economia do mundo pode não ter carvão e gás natural suficientes – usados para aquecer residências e operar fábricas – apesar das medidas no último ano para estocar combustível.

 

Ao mesmo tempo, rivais no norte da Ásia e na Europa competem por suprimentos cada vez mais limitados. A demanda por aquecimento aumentará quando as temperaturas caírem nos próximos meses no hemisfério norte, o que pode levar a um racionamento de energia semelhante ao observado no inverno passado e no verão.

 

Um déficit de energia e preços muito altos podem prejudicar indústrias chinesas, abalando ainda mais o frágil crescimento econômico depois que controles rigorosos para combater o coronavírus reduziram gastos e viagens dos consumidores.

 


Mais lidas


Conheça um pouco sobre a trajetória e o trabalho exercido pelos advogados de nossas associadas - Vivian Carvalho, gerente jurídico e compliance da Brasil Terminal Portuário e Leandro Fernandes, gerente jurídico do Terminal 12A. Pelo SOPESP, nossa Relações Institucionais, Marcelli Mello e nossa Assessora Jurídica, Gislaine Heredia.

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais