SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Wilson Sons investe em novos rebocadores para redução da emissão de gases do efeito estufa

Wilson Sons investe em novos rebocadores para redução da emissão de gases do efeito estufa


Fonte: Guia Marítimo (27 de agosto de 2021 )

A Wilson Sons vem desenvolvendo ao longo da última década uma série de ações para diminuir o impacto ambiental de suas operações, contribuindo com o esforço global para o equilíbrio do clima. A mais recente é a incorporação do padrão IMO TIER III, que reduz em mais de 75% os níveis de emissão de óxidos de nitrogênio, nos quatro rebocadores da empresa que estão sendo construídos no estaleiro do Grupo no Guarujá. O custo total para implementar os padrões IMO Tier III é de US$ 290.000.

 

“O óxido de nitrogênio é um gás de efeito estufa, que pode ser 300 vezes mais poluente do que o próprio dióxido de carbono. O Tier III é um grande diferencial desse projeto e mostra o quanto estamos na vanguarda da indústria naval brasileira”, destaca Rodrigo Bastos, diretor de operações da unidade de Rebocadores.

 

O primeiro rebocador construído com este padrão deve entrar em operação já em fevereiro do próximo ano e o segundo, em agosto. O projeto é da Damen Shipyards, parceiro da Wilson Sons há mais de 25 anos, e as embarcações terão 80 toneladas de tração estática (TBP), 25 metros de comprimento e 13 metros de boca, com notação de classe Escort Tug.

 

Com a tecnologia, os novos rebocadores estarão em conformidade com as exigências de algumas regiões do mercado norte-americano e europeu, determinadas pela Organização Marítima Internacional (IMO) como áreas de controle de emissões. “A IMO, da qual o Brasil é signatário, vem avançando na estratégia para reduzir as emissões de gases geradores do efeito estufa no setor marítimo. A Wilson Sons está sendo pioneira no Brasil atendendo os requisitos do padrão Tier III, visto que não é uma exigência para o território nacional, se antecipando a uma eventual regulamentação no país”, explica Bastos.

 

Nestes projetos, a Wilson Sons também utilizará outra tecnologia pioneira no mercado, o “twin fin”, um conjunto de quilhas que aumenta a capacidade de arrasto durante as manobras, e melhora a performance do rebocador. Com isso, para uma mesma tração, menos potência é demandada e, consequentemente, há uma redução no consumo de combustível e emissões.

 

Outro aliado na proteção do meio ambiente é a Central de Operações (COR), que monitora o deslocamento dos rebocadores, definindo o melhor momento para a movimentação, controlando a velocidade e o consumo de combustível, com o objetivo de garantir maior eficiência, evitar desperdícios e, consequentemente, reduzir a emissão de gases. Recentemente, a Companhia também se tornou membro do Carbon Disclosure Project (CDP) e obteve resultado superior à média das empresas do setor de apoio marítimo latino-americano.

 

“A Wilson Sons já possuía uma agenda forte ligada ao meio ambiente e sempre atuou para evitar o uso excessivo de combustíveis, além de participar de ações como o Projeto Praia Limpa e de projetos como o Parque de Naufrágios Artificiais de Pernambuco. O que está acontecendo agora é um planejamento mais sólido, com foco no curto, médio e longo prazos”, comenta o diretor.


Mais lidas


  Na manhã desta quarta-feira (18), o Sopesp (Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo) recebeu em sua sede a visita do desembargador federal, Celso Ricardo Peel Furtado, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região.   O magistrado foi recebido com um café da manhã pelo presidente da entidade, Régis Prunzel, acompanhado […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais