SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Portuários de Santos planejam greve de 24 horas na próxima semana

Portuários de Santos planejam greve de 24 horas na próxima semana


Fonte: A Tribuna (10 de maio de 2021 )
Portuários pressionam governo a divulgar calendário de vacinação contra a Covid-19 da categoria – Foto: Alexsander Ferraz/AT

 

Trabalhadores portuários de todo o País se reunirão na próxima terça-feira, para articular uma paralisação nacional. O plano é cruzar os braços por 24 horas, para pressionar o governo a divulgar um calendário de vacinação para a categoria contra a covid-19. Ontem, um protesto em frente à sede da Autoridade Portuária de Santos (APS) marcou o movimento no cais santista.

 

Atos semelhantes foram realizados em vários complexos portuários do País, como o do Rio de Janeiro, o de Natal (RN), Salvador (BA) e São Francisco do Sul (SC).

 

Em Santos, o protesto foi coordenado pela Unidade Portuária, entidade que reúne os sindicatos de trabalhadores do cais santista. Além dos estivadores, participaram operários portuários, vigias, consertadores e funcionários da administração portuária.

 

Os trabalhadores cruzaram os braços entre 7 e 9 horas. Depois, os escalados voltaram a seus postos e os demais seguiram para o protesto na sede da estatal que administra o complexo. Agora, a previsão é de uma greve de 24 horas na semana que vem, caso a reivindicação não seja atendida pelo Governo até a terça-feira.

 

A possível paralisação será definida em conjunto com a Federação Nacional dos Portuários (FNP), a Federação Nacional dos Estivadores (FNE) e a Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios, nas Atividades Portuárias (Fenccovib).

 

Em janeiro, o Ministério da Saúde incluiu os trabalhadores portuários no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19. Mas, até agora, não foi divulgado o calendário de vacinação.

 

“A reivindicação é em prol da vacina contra a covid devido ao alto índice de trabalhadores morrendo e sendo infectados”, afirmou o presidente do Sindicato dos Estivadores de Santos e Região (Sindestiva), Bruno Santos.

 

O presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), Everandy Cirino dos Santos, destacou que é grande a possibilidade de uma paralisação nacional. “Já vamos levar isso como proposta. E precisamos de uma data (de vacinação) próxima e não novembro ou dezembro”, afirmou.

 

Cirino ainda apontou que os portuários sentiram a falta da articulação de deputados e vereadores no protesto contra a vacina. E destacou a preocupação da iniciativa privada em garantir o imunizante aos portuários.

 

“A vida dos trabalhadores está em segundo plano. Vamos definir uma data para fazer uma paralisação, conforme manda a legislação, com edital nos jornais, avisando aos usuários do Porto”, destacou Cirino.

 

Usuários

A paralisação dos trabalhadores vai afetar diretamente as operações em cais público. E o principal temor é com relação à atracação de navios. A informação é do diretor-executivo do Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Estado de São Paulo (Sindamar), José Roque.

 

“As operações de commodities é que serão mais prejudicadas. Entendemos o pleito dos portuários sobre a exigência da vacinação, devido à exposição a que estão submetidos, e isso se estende também ao agenciamento marítimo, já que o nosso pessoal, desde a chegada do navio, a permanência atracado e na sua saída, sempre encontram-se a bordo conversando com o comandante sobre a parte operacional e dando instruções que os armadores transmitem. E sua grande maioria é de profissionais entre 25 à 40 anos”, afirmou Roque.

 

Procurada, a Federação Nacional das Operações Portuárias (Fenop) destacou que tem solicitado ao Governo Federal prioridade na vacinação dos portuários. Segundo a entidade, foram encaminhados vários ofícios e feitas reuniões sobre o tema.

 

Procurado, o Ministério da Infraestrutura informou que “discute com o Ministério da Saúde, a quem cabe essa decisão, a inclusão da categoria entre os grupos prioritários da vacinação contra Covid-19. Ao mesmo tempo, trabalha em parceria com o Legislativo para os portuários serem incluídos no projeto de lei recentemente votado na Câmara dos Deputados, que em breve entra na pauta do Senado Federal”.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais