SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Parceria entre Orbia e Bunge viabiliza comercialização de 75 mil toneladas de soja em plataforma de commodities digital

Parceria entre Orbia e Bunge viabiliza comercialização de 75 mil toneladas de soja em plataforma de commodities digital


Fonte: Grupo Cultivar (10 de março de 2021 )
Foco da parceria para a safra 2021/22 é estimular operações de barter digital dentro da Orbia. – Foto: Wenderson Araujo/CNA

A parceria entre a Orbia e a Bunge para a comercialização de grãos de forma 100% digital superou as expectativas dos parceiros. Em apenas três meses de operação, a plataforma de commodities da Orbia movimentou mais de 75 mil toneladas de soja.

 

O resultado é um marco, uma vez que esta é a primeira operação de comercialização de commodities realizada totalmente no ambiente digital. Por meio da parceria, o produtor rural pode negociar sua produção de duas formas: venda de grãos disponíveis e barter digital, em que os grãos são utilizados como pagamento na compra de insumos agrícolas.

 

Os números alcançados reforçam também o novo perfil do produtor rural, que percebe na conectividade e na digitalização fatores importantes de crescimento da produtividade. “Os nossos resultados de 2020 mostram que o produtor rural está cada vez mais inserido no meio digital e que está disposto a utilizar a tecnologia para alavancar os seus negócios”, conta Ivan Moreno, CEO da Orbia. “No ano passado, atingimos a marca de R$ 200 milhões de insumos agrícolas vendidos no marketplace e, em pouco mais de 3 meses, negociamos mais de 75 mil toneladas de soja na plataforma. Isso é histórico para o setor e reforça nossa posição como pioneiros nesse movimento”, complementa Moreno.

 

Roberto Marcon, diretor de Originação da Bunge, ressalta que a parceria é mais um passo na jornada de transformação digital da multinacional. “Estamos desenvolvendo e implantando soluções digitais em nossas principais áreas de negócio. Por meio da parceria com a Orbia, a Bunge se tornou a primeira trading do Brasil a realizar o processo de originação (compra) de grãos online, permitindo ao produtor rural realizar cotações, vender sua safra e assinar o contrato sem precisar sair de casa, com segurança e transparência em todos os processos. O sucesso das transações online nos motiva a continuar trabalhando para incentivar que cada vez mais revendas e produtores aproveitem as facilidades da negociação digital”, afirma.

 

Relações de Barter no ambiente digital  

As relações de troca que viabilizam a compra de insumos agrícolas com pagamento futuro em grãos já fazem parte do dia a dia dos produtores rurais. A parceria entre a Orbia e a Bunge ampliou as possibilidades para esse público, tornando essa dinâmica comercial totalmente digital. Em fevereiro, as empresas promoveram uma campanha para estimular as operações de barter na plaraforma, na qual foram oferecidas condições desburocratizadas de crédito para aquisição de fertilizantes às revendas que operam no marketplace e descontos especiais aos produtores para compras de fertilizantes, sementes e defensivos.

 

“As plataformas digitais no Agro estão gradativamente ganhando espaço e o interesse de nossos clientes. Entrar na plataforma da Orbia de maneira significativa como estamos fazendo, permite que a empresa seja uma das pioneiras em seguir uma tendência que aos poucos vai dominando o mercado”, destaca Paula de Mello, da Agrícola Alvorada, revenda que movimentou cerca de 45 mil toneladas em barter digital na Orbia.

 

Como em todo processo de implementação de novas tecnologias, o início das operações é marcado por muito aprendizado. Com a plataforma de Commodities da Orbia não foi diferente, como destaca Marcio Prestes, da Big Safra. “Foi um aprendizado tanto para nós quanto para nossos clientes, pois trata-se de uma evolução no processo de comercialização, em um formato completamente novo. No Agro, o movimento de digitalização ocorre de forma mais lenta, pois algumas famílias são ainda bastante apegadas ao modelo tradicional de comercialização. Já as novas gerações estão vindo e assumindo os negócios com um olhar muito mais avançado e voltado para digitalização. Cabe às empresas investirem no desenvolvimento tecnológico e na capacitação de pessoas, para acompanharem essa evolução, juntamente com parceiros de escalas maiores”.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais