SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   O mercado de trabalho precisará se ajustar aos efeitos da pandemia de covid-19 e do cenário econômico, avalia economista

O mercado de trabalho precisará se ajustar aos efeitos da pandemia de covid-19 e do cenário econômico, avalia economista


Fonte: FIESP (5 de março de 2021 )
Em reunião virtual, Cort debate as perspectivas para a economia e o mercado de trabalho com economista da FGV. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

As perspectivas para economia e o mercado de trabalho em 2021 foi foco de encontro, na Fiesp, com o professor de Economia Armando Castelar Pinheiro, coordenador de Economia Aplicada do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). O acadêmico foi o convidado do Conselho Superior de Relações do Trabalho (Cort), presidido por Maria Cristina Mattioli.

 

Para ele, a pandemia de Covid-19 representa um desafio para a economia e o mercado de trabalho diante da falta de perspectiva no curto prazo: “A vacinação é que vai determinar quando as economias irão se recuperar, e principalmente quais setores vão se recuperar. Apesar da economia estar mal, setores diferentes têm desempenhos distintos, o que impacta diretamente no mercado de trabalho”, afirmou Pinheiro.

 

Em sua avaliação, nem este ano nem no próximo voltaremos ao patamar pré-pandemia. “Hoje, 6% da população antes empregada deixou o mercado de trabalho e nem busca novos postos. Antes, a participação era de até 62% com vínculo empregatício, índice que caiu para menos de 56%, e parte dessa queda tem relação com o auxílio emergencial e a obrigação do isolamento, segundo observou o expositor.

 

Mesmo que mais empregos sejam criados em 2021, ainda assim mais pessoas estarão à procura de vaga. Logo, a taxa de desocupação não irá cair, na avaliação do economista. “Ao mesmo tempo que se emprega mais gente, mais gente fica desempregada”, avaliou Pinheiro, ao apontar o descompasso. Diante do levantamento da população ocupada, revela-se uma diminuição de pessoas economicamente ativas, com mais de 10 milhões de pessoas que não integram mais a força de trabalho. A desocupação é percebida em diversos setores, como a agropecuária, construção civil, indústria e, principalmente,  serviços, que, em geral, emprega mais pessoas.

 

Pinheiro salientou: “Se o setor de serviços não se recuperar, empregos também não serão recuperados, mesmo que já exista uma melhora no nível de atividade agregada da economia pelo bom desempenho da indústria e pelas vendas do comércio, é necessário o restabelecimento dos serviços nos postos de trabalho”.

 

De acordo com o expositor, voltar ao nível anterior de atividade agregada é de extrema importância, mas a composição dessa recuperação também é útil para fins de análise de mercado de trabalho. A projeção de crescimento para o Brasil, em 2021, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) é de alta de 3,6%. Na verdade, a previsão para o país é ainda de desempenho fraco na economia, que só irá registrar algum aumento a partir da metade do ano, se a vacinação avançar, como calculado no plano nacional de imunização do Ministério da Saúde.

 

“Para o mercado de trabalho vai ser um ano também difícil e, para os próximos, será desafiador, por mais que a vacinação destrave setores como turismo, hotelaria, restaurante, entre outros”, afirmou o convidado do Cort, que concluiu que temos de nos atentar à inflação, pois a política econômica refletirá também as preocupações eleitorais de 2022.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais