SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Caminhões encaram fila para escoar soja no Pará

Caminhões encaram fila para escoar soja no Pará


Fonte: Valor Econômico (17 de fevereiro de 2021 )

Cerca de 3 mil caminhões com soja permaneciam parados ontem no porto fluvial de Miritituba, em Itaituba (PA), devido ao elevado fluxo de veículos que seguem para a estação de transbordo do Rio Tapajós. Segundo a Associação Brasileira de Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a fila começou a se formar no da 11.

 

Em nota, a entidade ressaltou que os caminhões não estavam atolados, mas que as chuvas estavam dificultando a viagem. “O congestionamento na região de Miritituba acontece em um trecho sem pavimento de cerca de 7 quilômetros da BR-230, que liga a BR-163 à Estação de Transbordo de Carga (ETC) do Tapajós. A via é de responsabilidade da Prefeitura de I de Carga (ETC) do Tapajós. A via é de responsabilidade da Prefeitura de Itaituba e a dificuldade no tráfego se dá em função das chuvas e do aumento do tráfego neste momento da safra”, informou a Abiove.

 

A entidade já reportou a situação ao governo federal, e informou que “a prefeitura [de Itaituba] está trabalhando para mitigar o problema, até que a concessão da BR-163 seja viabilizada, resolvendo definitivamente a questão”.

 

O secretário de Agricultura de Itaituba, Emanoel do Livramento Pires Júnior, afirmou ao site “Notícias Agrícolas” que até 10 mil caminhões ficaram em filas no fim da semana passada, mas que o problema vinha sendo resolvido com a ajuda da Polícia Militar.

 

Os terminais de grãos do rio Tapajós são abastecidos por caminhões que chegam pela BR-230 – administrada pelo governo federal e, no trecho de 7 quilômetros sem pavimentação, pela prefeitura de Itaituba. O local recebe carretas que também chegam da intersecção com a BR-163.

 

No último fim de semana, o trânsito de caminhões na região fez com uma enfermeira levasse pela via sem pavimentação um paciente para tratamento de covid-19, como mostra um vídeo bastante divulgado em redes sociais.

 

A Abiove afirmou que ainda não via impacto nas exportações de grãos, uma vez que os problemas têm sido solucionados.

 

Já na rodovia MT-322, em Mato Grosso, um atoleiro em um trecho localizado no Distrito de Espigão do Leste, em São Félix do Araguaia, gerava na manhã de ontem uma fila com cerca 200 caminhões com grãos, segundo o “Bom Dia Brasil”, da TV Globo.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais