SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Em documento, CNI defende retomar programa que permitia redução de jornada e salário

Em documento, CNI defende retomar programa que permitia redução de jornada e salário


Fonte: G1 (12 de fevereiro de 2021 )
Programa foi criado em 2020 em razão da pandemia e deixou de vigorar em 31 de dezembro. Segundo Caged, 9,8 milhões de trabalhadores aderiram ao plano.

 

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende, em documento a ser divulgado nesta sexta-feira (12), a retomada do programa que permitia redução da jornada de trabalho e do salário em razão da pandemia.

 

O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda foi criado em 2020 e vigorou até 31 de dezembro do ano passado, quando também deixou de vigorar o decreto de calamidade pública.

 

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), 9,8 milhões de trabalhadores aderiram ao programa no ano passado.

 

O documento da CNI reúne, ao todo, 25 propostas para a redução do chamado “Custo Brasil” – veja detalhes mais abaixo.

 

Pelas regras do programa, o governo repôs parte das perdas dos trabalhadores por meio do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEM).

 

A CNI afirma que “o agravamento do quadro de saúde pública e da incerteza econômica” justifica a recriação do programa, “de modo a contribuir com a continuidade das atividades econômicas e da manutenção de postos de trabalho”.

 

“O cenário de segunda onda de contágio, com aumento de pessoas infectadas, mortes e internações, faz com que persistam situações de fechamento de estabelecimentos ou restrições de funcionamento impostas pelo poder público, o que deixa mais crítica a situação de muitas empresas que não conseguiram normalizar suas atividades”, diz o documento.

 

Congresso
O senador Rogério Carvalho (PT-SE) apresentou em janeiro um projeto de lei para recriar o programa por mais seis meses.

 

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado pelo Senado e pela Câmara dos Deputados e, além disso, ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

Redução do ‘Custo Brasil’
O documento da CNI apresenta outras propostas e defende a adoção de “medidas que permitam adaptações imediatas de rotinas pelas empresas para a retomada do emprego, da produção e da produtividade”.

 

A entidade também defende “medidas de curto e médio prazos de modernização, simplificação e eficiência das relações do trabalho”.

 

De acordo com a CNI, a expectativa do setor é que as medidas já no Congresso Nacional sejam aprovadas e implementas o mais breve possível.

 

Entre outras sugestões, a CNI recomenda:

  • aprovação da reforma tributária, substituindo tributos sobre o consumo (PIS/Cofins, ICMS, ISS e IPI) por um
  • Imposto sobre Valor Adicionado (IVA);
  • redução da alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da CSLL, compensando a queda de arrecadação com a tributação de lucros e dividendos;
  • aprovação da reforma administrativa com foco no aumento da competitividade do setor público;
  • aprovação da PEC 186 (PEC Emergencial), que cria mecanismos de contenção de despesas pelos governos;
  • extensão dos programas emergenciais de financiamento, como o Pronampe e o Peac;
  • aprovação do marco legal nacional para o licenciamento ambiental;
  • instituição do marco legal de recuperação judicial das micro e pequenas empresas.

Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais