SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Governo de SP cancela ponto facultativo do carnaval para conter pandemia de Covid-19 no estado

Governo de SP cancela ponto facultativo do carnaval para conter pandemia de Covid-19 no estado


Fonte: G1 (1 de fevereiro de 2021 )
Região de Sorocaba, a qual integra Itapetininga, retorna à fase laranja — Foto: Governo de São Paulo/Divulgação

 

O governo de São Paulo cancelou o ponto facultativo do carnaval para tentar conter o avanço da Covid-19 no estado. O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (29) pelo governador João Doria (PSDB).

 

“O governo de São Paulo, assim como a prefeitura da capital, cancela o ponto facultativo do carnaval. Portanto, não teremos feriado de carnaval em todo o estado. Essa é a recomendação do Centro de Contingência para, com isso, manter sob controle a expansão da pandemia”, afirmou Doria.

 

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, disse que as prefeituras têm autonomia para tomar a decisão, mas orientou que sigam a recomendação do governo estadual.

 

“O governo do estado toma esta decisão por entender que, pela saúde, é o mais correto para seguir com esse arrefecimento da evolução da pandemia no estado. É um ponto facultativo, portanto, o governo do estado, tomando essa decisão, as prefeituras também têm essa prerrogativa no que tange os serviços municipais. A Prefeitura de São Paulo já tomou essa decisão, e a nossa recomendação é que sigam essa prerrogativa da ciência de medicina”, disse o secretário.

 

Reclassificação
Durante a coletiva, a gestão estadual também divulgou mudanças na reclassificação do plano estadual de flexibilização econômica.

 

A região de Ribeirão Preto foi colocada na fase vermelha, a mais restritiva, após atingir 82% na taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19.

 

Já as regiões de Sorocaba e Presidente Prudente, por apresentarem melhoras nos indicadores de saúde, passaram à fase laranja.

 

Este final de semana será o primeiro em que todo o estado deverá ficar na fase vermelha da proposta.

 

As regras mais restritivas de isolamento social, determinadas das 20h às 6h nos dias úteis, e aos sábados, domingos e feriados, entraram em vigor na última segunda-feira (25).

 

Nesta fase, só estão autorizados serviços essenciais, como padarias, mercados e farmácias. Já bares, restaurantes e comércio não podem funcionar.

 

A medida valerá, em todo o estado, nos finais de semana dos dias 30 e 31 janeiro e 6 e 7 de fevereiro.

 

Reclassificação
No início de janeiro, o governo fez alterações nas regras de funcionamento da fase laranja, e a tornou mais permissiva.

 

Na semana passada, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirmou que bares poderão funcionar na fase laranja apenas se operarem como restaurantes. De acordo com ela, esses estabelecimentos podem funcionar nos horários dos restaurantes, caso sirvam comida para clientes que fiquem sentados.

 

Desde o início do ano, o governo paulista tem feito reclassificações semanais. No final de 2020, a gestão estadual chegou a colocar o estado na fase vermelha durante as festas de final de ano para tentar evitar aglomerações e, consequentemente, os riscos de contaminação.

 

A última reclassificação do Plano São Paulo ocorreu no dia 22 de janeiro.

 

O Plano São Paulo prevê o rebaixamento para fases com regras mais restritivas da quarentena em regiões que apresentam grande aumento semanal de novas internações, mortes, casos ou taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 

No último dia 15, o governo de São Paulo determinou o cancelamento das cirurgias eletivas em todos os hospitais públicos e conveniados do estado. Na ocasião, também foi anunciada a reativação do Hospital de Campanha de Heliópolis, na capital.

 

O governo também alterou o parâmetro de taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na fase vermelha, que passou de 80 para 75%. Pelas regras, nenhuma região poderá ir as fases verde e amarela antes do dia 8 de fevereiro.

 

Classificação atual no estado

Vermelha – só operam serviços essenciais

  • Marília
  • Franca
  • Barretos
  • Bauru
  • Taubaté
  • Ribeirão Preto

 

Laranja – bares não abrem, e demais serviços funcionam com restrições de horários e capacidade

  • Grande São Paulo
  • Araçatuba
  • Piracicaba
  • São José do Rio Preto
  • Registro
  • Araraquara
  • Baixada Santista
  • Campinas
  • São João da Boa Vista
  • Presidente Prudente
  • Sorocaba

 

O que funciona na Fase Laranja

(Esta fase sofreu alterações no dia 5 de janeiro e passou a ser mais permissiva.)

 

Todos os setores de comércio e serviços passam a ser permitidos. A exceção é o atendimento presencial em bares, que continua proibido.

 

Capacidade de ocupação: antes era de 20% e vai para 40% em todos os setores.

 

Funcionamento máximo: ampliado de 4 para 8 horas por dia.

 

Horário de fechamento: atendimento presencial só poderá ser feito até 20h.

 

Parques estaduais, salões de beleza e academias: poderão abrir.

 

O que funciona na Fase Amarela
A capacidade máxima passa a ser limitada a 40% de ocupação para todos os setores. Antes, o percentual variava por setor: academias podiam operar com apenas 30% da ocupação, por exemplo.

 

O atendimento presencial ao público pode ser feito apenas até as 22h, em todos os setores, exceto no setor de bares, que pode funcionar até as 20h.

 

O horário de funcionamento passa a ser limitado a 10 horas por dia para todos os setores. Antes, o horário variava por setor.

 

Serviços essenciais que podem funcionar na Fase Vermelha

  • Farmácias
  • Mercados
  • Padarias
  • Açougues
  • Postos de combustíveis
  • Lavanderias
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô
  • Transportadoras, oficinas de veículos
  • Atividades religiosas
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria.
  • Bancos
  • Pet shops

Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais