SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Tomates estão mais baratos e cresce a exportação de frutas

Tomates estão mais baratos e cresce a exportação de frutas


Fonte: Grupo Cultivar (27 de janeiro de 2021 )

O clima de festas de Natal e Ano Novo no último mês alterou o consumo de hortaliças, mas os preços das Centrais de Abastecimento (Ceasas) revelam que o tomate foi o que apresentou maior redução de preços para os consumidores. Em Goiânia/GO chegou a cair mais de 20%, com preço médio mensal de R$ 2,95/kg, enquanto em Fortaleza/CE a queda na cotação foi de 18,3%, vendido em média a R$ 2,58/kg. Os dados são  do 1º Boletim Prohort, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

 

O motivo do movimento de baixa na hortaliça, segundo o estudo, deve-se ao grande volume do produto recebido nos mercados, onde foi registrado um fluxo de cerca de 10% a mais em dezembro. No Ceará, por exemplo, a comercialização foi 30% superior ao que foi recebido no mês anterior. Somente em São Paulo (Ceagesp) e em Recife (Ceasa/PE) ocorreu a alta de preços do tomate, ainda assim, em pequenos percentuais.

 

Também a cebola experimentou uma tendência de queda na maioria dos mercados, com menor variação no Rio de Janeiro (-1,75%) e maior em Brasília (-27,66%). Batata e cenoura apresentaram comportamento distintos entre os mercados.  A batata, por exemplo, subiu 7,37% em Curitiba e 14,22% em Belo Horizonte, enquanto em Fortaleza e Recife houve redução de 11,53% e 4,11%, respectivamente. A variação deve-se ao aumento da demanda por ocasião das festas de fim de ano, mesmo com a maior oferta da safra das águas.

 

Para a cenoura, as variações estavam acima em dezembro, entre 1% na Ceagesp e 12,86% na CeasaMinas. As reduções ocorreram em mercados de Fortaleza (-8,76%), Recife (-3,56%) e Goiânia (-12,9%). Mas esta hortaliça tende a estender a queda de preços já a partir deste mês, como reflexo da colheita da safra de verão, principalmente em Minas Gerais, principal estado abastecedor.

 

Frutas 

As frutas, incluindo as que têm mais representatividade comercial nas Ceasas como laranja, maçã, melancia, banana e mamão, obtiveram ganho nas exportações no ano passado, remunerando melhor os produtores. O volume exportado chegou em dezembro com mais de 1 milhão de toneladas, cerca de 6% acima do ano anterior. Destaque do crescimento do volume das exportações são também para limões, limas, mangas, conservas e preparações de frutas.

 

A maioria dos mercados atacadistas teve alta de preços das frutas no último mês, impulsionada principalmente pelo aumento dos insumos. A melancia de Goiânia aumentou em 50%, elevando o preço médio do quilo para R$ 1,83, enquanto que, em Belo Horizonte, a banana subiu 37,9%, atingindo a média mensal de R$ 3,00/kg. A laranja e o mamão formosa foram os poucos que apresentaram preços mais baixos, em parte pela grande oferta dessas frutas e da concorrência com as frutas de caroço, típicas de final de ano.

 

A Conab acompanha os preços praticados nas Ceasas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Goiânia, Brasília, Recife e Fortaleza.

 

A íntegra do Boletim Hortigranjeiro de Janeiro de 2021 aqui.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais