SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Diplomata reconhece necessidade de abertura da Austrália ao agronegócio brasileiro

Diplomata reconhece necessidade de abertura da Austrália ao agronegócio brasileiro


Fonte: Moneytimes (15 de dezembro de 2020 )
O diplomata Mauricio Carvalho Lyrio foi indicado para a embaixada na Austrália (Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado)

 

Brasil vem registrando um deficit crônico nas relações comerciais com a Austrália, que já soma bilhões de dólares nos últimos anos, e demandará duras negociações visando à abertura do mercado daquele país a diversos produtos do agronegócio brasileiro.

 

Foi o que afirmou o diplomata Mauricio Carvalho Lyrio durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE) nesta segunda-feira (14).

 

A comissão aprovou o nome de Lyrio para a chefia da missão diplomática brasileira em Canberra, capital da Austrália. Agora essa indicação, que tramita sob a forma da Mensagem 89/2020, irá a votação no Plenário do Senado.

A fala de Lyrio foi motivada por reclamação da senadora Katia Abreu (PP-TO), que definiu a Austrália como “um dos países mais fechados do mundo ao agronegócio brasileiro, um país extremamente protecionista”. A relatora da indicação do diplomata, Soraya Thronicke (PSL-MS), também chamou a atenção para o deficit comercial crônico do Brasil nas relações com esse país da Oceania.

 

— Uma análise dos últimos cinco anos confirma que o comércio com a Austrália é tradicionalmente desfavorável para nós. Nosso deficit foi de US$ 653 milhões em 2015; de US$ 410 milhões em 2016; de US$ 899 milhões em 2017; de US$ 652 milhões em 2018; e de US$ 495 milhões em 2019. Além disso, o intercâmbio como um todo caiu 51% entre 2011 e 2019, passando de US$ 2,7 bilhões para US$ 1,4 bilhão no ano passado — alertou Soraya.

 

Em sua resposta às senadoras, Lyrio disse que a embaixada brasileira passará a contar, a partir de 2021, com um adido agrícola, que será indicado pelo Ministério da Agricultura. A estratégia busca repetir o que ocorreu no México, onde atualmente Lyrio chefia a embaixada do Brasil. O México flexibilizou a entrada de diversos produtos do agronegócio brasileiro nos últimos anos a partir de negociações conduzidas diretamente pelo adido agrícola.

 

— O caminho é a insistência permanente pela abertura pontual em algumas áreas importantes para nosso agronegócio. Eu contei aqui no México com a enorme competência de um adido agrícola, que me auxiliou na abertura do mercado mexicano. Contarei com o privilégio de receber também um novo adido agrícola na Austrália, que facilitará muito a tarefa de abrir o mercado daquele país, especialmente nos mercados de carne e frutas — declarou Lyrio.

 

Investimentos recíprocos

A despeito do deficit crônico com a Austrália, tanto Mauricio Carvalho Lyrio quanto Soraya Thronicke destacaram os investimentos recíprocos entre os dois países. Citando dados do “Australia Bureau of Statistics”, Soraya disse que o Brasil possui hoje um estoque de US$ 6,2 bilhões de investimentos advindos de empresas australianas.

 

Por outro lado, Lyrio citou que empresas brasileiras como JBS, Natura, Marcopolo e Weg também fazem “investimentos robustos” em suas estratégias de penetração no mercado australiano.

 

Lyrio e Soraya também valorizaram o fato de a Austrália ser um país que recebe muitos imigrantes brasileiros. Hoje mais de 55 mil brasileiros vivem na Austrália — desse total, estima-se que cerca de 27 mil são estudantes universitários, de cursos de formação profissional e de língua inglesa, dentre outros.

 

Fiji e Vanuatu

A embaixada brasileira em Canberra também representa os interesses do país em Fiji e Vanuatu, ilhas próximas à Austrália. Lyrio lembrou que uma missão do Mercosul, composta por 10 empresários, visitou esses países em junho de 2019.

 

E destacou que o comércio do Brasil com Fiji, entre janeiro e julho de 2020, chegou a U$ 600 mil, com superávit de U$ 500 mil para o Brasil. Os principais produtos exportados foram café (18%), calçados (18%), fios de ferro e aço (17%) e máquinas agrícolas (7,4%).

 

Tailândia

Também foi aprovada nesta segunda-feira a indicação do diplomata José Borges dos Santos Júnior para a embaixada brasileira na Tailândia.

 

Durante sua sabatina, Santos Júnior destacou que o comércio entre os dois países chegou a US$ 3,2 bilhões em 2019, com superávit brasileiro de US$ 131,2 milhões. E entre janeiro e julho de 2020, esse intercâmbio superou US$ 2 bilhões, um crescimento, segundo ele, de 12,2% em comparação ao mesmo período do ano passado.

 

— Grande parte do incremento decorre do aumento de nossas exportações, que cresceram 35,9% e passaram de US$ 1,3 bilhão. Já as importações brasileiras da Tailândia chegaram a U$ 760 milhões, uma queda de 13,5% — detalhou Santos Júnior.

 

O diplomata também destacou que grandes grupos empresariais tailandeses aumentaram seus investimentos no Brasil nos últimos anos. Os casos mais notórios, de acordo com ele, são o do grupo hoteleiro Minor Group, que opera hotéis de luxo em destinos turísticos brasileiros, e do grupo PTT, conglomerado tailandês que participa de consórcio para exploração de petróleo e gás.

 

A indicação de Jorge Borges dos Santos Júnior, que tramita no Senado sob a forma da Mensagem 87/2020, segue agora para votação no Plenário do Senado.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais