SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Portos redobram atenção no combate à pandemia de COVID-19

Portos redobram atenção no combate à pandemia de COVID-19


Fonte: Portos do Paraná (7 de dezembro de 2020 )
Autoridade Portuária reuniu Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO), o Sindicato dos Trabalhadores Portuários (Sintraport) e a Intersindical para apresentar e discutir ações de reforço ao coronavírus. Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

 

A Portos do Paraná, o Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO), o Sindicato dos Trabalhadores Portuários (Sintraport) e a Intersindical, que reúne os sindicatos dos estivadores, capatazia, conferentes de carga, arrumadores, trabalhadores do bloco, vigias e práticos do Estado, se reuniram na tarde desta sexta-feira (4) para debater ações de reforço no combate à COVID-19.

 

As ações adotadas desde março, nos portos de Paranaguá e Antonina, continuam. As triagens iniciais de saúde, seguem acontecendo 24 horas, com atendimento médico especializado. Além disso, são disponibilizados álcool em gel, novas torneiras, sabão antisséptico, chuveiros e lava-pés com hipoclorito de sódio.

 

“As equipes de enfermagem realizaram mais de 1 milhão de aferições, aplicando o questionário de segurança em todos os trabalhadores que acessam as áreas portuárias. A estrutura montada no início da crise foi mantida e agora contamos com cada trabalhador para redobrar a prevenção”, explica Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente da Portos do Paraná.

 

A parceria entre sindicatos e operadores portuários tem sido essencial para dar segurança aos portuários e suas famílias. “A doença é grave e exige o esforço conjunto. Todos precisam fazer sua parte, seja em casa ou em serviço”, lembrou Garcia.

 

O OGMO Paranaguá anunciou a disponibilidade de um ônibus extra, nos horários de pico, para o transporte seguro dos trabalhadores portuários autônomos. O órgão realiza o monitoramento constante dos mais de 2 mil TPAs.

 

“Temos tomado as ações necessárias para que o trabalhador se sinta protegido e as operações portuárias não parem. Mantemos um canal de comunicação com todos, em que mais de 90% diz se sentir seguro dentro do porto, com as ações adotadas em conjunto”, adianta Manuel Rubens de Magalhães Filho, gerente operacional do OGMO.

 

Para João Antonio Lozano, presidente do Sindicato dos Estivadores e da Intersindical Portuária, o momento é de união e alerta. “É fundamental que todos entendam e colaborem. Não adianta o porto, operador portuário, OGMO adotarem medidas de prevenção se o trabalhador não usar máscara, lavar as mãos, manter distância”, reforça.

 

“Hoje os trabalhadores se sentem mais seguros dentro do porto, do que fora. Meu pedido é para que todos façam a prevenção e mantenham a prevenção também nos momentos de descanso. Juntos podemos vencer a Covid”, lembrou.

 

CUIDADOS: Além das medidas já adotadas, os portos do Paraná devem intensificar as campanhas de comunicação. A biometria para entrada no cais será mantida, seguindo determinação da Receita Federal e Cesportos.


Mais lidas


Celebramos hoje (12) o Dia Internacional da Enfermagem, data escolhida em homenagem ao aniversário de Florence Nightingale, considerada a pioneira da enfermagem moderna.   Para quem não sabe, a profissão tem origem milenar e data da época em que ser enfermeiro era uma referência a quem cuidava, protegia e nutria pessoas convalescentes, idosos e deficientes. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais