SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Docas do Rio divulga ações e projetos no ENAEX 2020

Docas do Rio divulga ações e projetos no ENAEX 2020


Fonte: Companhia Docas do Rio de Janeiro (18 de novembro de 2020 )

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), responsável pela administração dos Portos do Rio de Janeiro, Itaguaí, Niterói e Angra dos Reis, marcou presença no 39º Encontro Nacional de Comércio Exterior (ENAEX), que aconteceu online nos dias 12 e 13 de novembro. Na oportunidade, a Autoridade Portuária, uma das principais patrocinadoras do evento, divulgou as ações em andamento para a melhoria da infraestrutura portuária, além de projetos e oportunidades de investimentos nos portos.

 

 

Durante o Workshop ‘Soluções Logísticas para o Estado do Rio de Janeiro’, no primeiro dia do encontro, o diretor de Relações com o Mercado e Planejamento da CDRJ, Jean Paulo Castro e Silva, enfatizou que “a CDRJ está buscando investir cada vez mais para melhorar a infraestrutura portuária e para atrair mais cargas e mais rotas para seus portos que são responsáveis por 13% do comércio exterior brasileiro”.

 

Em sua apresentação, o diretor Jean Paulo destacou duas boas notícias que podem alavancar a competitividade do Estado do Rio de Janeiro: a queda no índice de roubos de cargas no Estado e a nova Lei de Incentivo Fiscal ao Comércio Exterior, com alíquota zero de ICMS para exportação. Em seguida, mostrou as áreas disponíveis para novos arrendamentos nos Portos do Rio e Itaguaí.

 

 

O mesmo fórum, que discutiu outros projetos de logística importantes para a recuperação econômica do Estado, teve a participação também dos principais executivos dos operadores portuários que atuam nos portos da CDRJ e representantes de entidades do setor.

 

No segundo dia do evento, o diretor-presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, participou do Painel ‘A economia de defesa, o arrasto tecnológico e o comércio internacional’, que abordou a importância da economia de defesa e as oportunidades do desenvolvimento dessa indústria. “A indústria de defesa forte significa independência nacional, que a nação pode escolher seus próprios rumos sem interferência externa, e eu acredito que estamos no caminho certo. Além disso, a tecnologia avançada dos produtos de defesa acaba beneficiando toda a sociedade”, ressaltou o presidente Laranjeira.

 

O presidente Laranjeira afirmou que, com o atual ministro da Infraestrutura, a gestão da CDRJ passou a ser feita por pessoas técnicas e não políticas e, com isso, os portos ganharam em produtividade e têm sido realizadas melhorias na segurança e nos acessos aquaviário e terrestre. “A gestão da companhia é séria, comprometida e responsável para que os portos sejam eficientes e eficazes e, desta forma, possam contribuir para a exportação desse material, para uma indústria de defesa mais forte e, assim, para a independência tecnológica do Brasil”, salientou o presidente.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais