SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   ‘BR do Mar’ pode elevar fluxo de cabotagem no Pecém em até 40% até 2022

‘BR do Mar’ pode elevar fluxo de cabotagem no Pecém em até 40% até 2022


Fonte: Diário do Nordeste (29 de outubro de 2020 )
Legenda: Para o gerente de negócios portuários do Pecém, o terminal pode ter uma elevação no fluxo de cabotagem superior à média do País
Foto: Carlos Marlon

 

Programado para ser votado nesta semana na Câmara dos Deputados, o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem, apelidado de “BR do Mar”, objetiva aumentar a oferta e a qualidade do serviço no País. Apesar de não prever nenhum estímulo específico aos portos, os equipamentos serão beneficiados por consequência. O Porto do Pecém, vice-líder nacional em número de rotas de cabotagem, estima um crescimento da ordem de 30% a 40% no que diz respeito à movimentação de contêineres pela modalidade até o fim de 2022.

 

A previsão foi revelada pelo gerente de negócios portuários do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), Raul Viana. Ele aponta que o terminal tem apresentado crescimento superior a 20% em cabotagem nos últimos anos, ritmo que deve ser acelerado com a possível aprovação do projeto. “A cabotagem sempre foi muito incentivada pelo Porto do Pecém. Nós vemos na cabotagem uma forma de desenvolver a economia do Ceará”, ressalta.

 

Mesmo sem um levantamento específico para os impactos do “BR do Mar” no terminal, Viana acredita que o Porto do Pecém tem plenas condições de acompanhar o incremento de 66% na movimentação de contêineres em âmbito nacional projetado pelo Governo Federal com o estímulo. “Se mantiver esse crescimento (de mais de 20% ao ano), com constantes investimentos em infraestrutura e superestrutura – que são guindaste, caminhões portuários, entre outros equipamentos – temos como acompanhar o crescimento em nível Brasil, até maior que 30 a 40% até o fim de 2022”, destaca.

 

Ele ainda aponta a alta expectativa que está sendo posta na pauta. “A cabotagem já cresceu muito nos últimos anos e, com estímulo, tem muito ainda a crescer. Nós vivemos em um país continental, é preciso estimular outros modais”, avalia.

 

Ele explica que a logística do transporte de cargas seria mais interessante com o uso da cabotagem para longas distâncias. “O transporte rodoviário é complementar ao marítimo. Seria mais eficiente os caminhões serem usados para pegar carga na indústria e levando ao porto e vice-versa do que sair aqui do Ceará para São Paulo, cruzando o País todo nas rodovias, prejudicando as estradas, aumentando o risco de acidentes, gerando engarrafamento”, diz.

 

Projeto

O Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem visa ao incremento de oferta e à qualidade do transporte; aumento da concorrência e competitividade; desburocratizar pré-requisitos para as empresas ficarem aptas a fazer o transporte; ampliar a frota de navios; e otimizar os recursos da marinha mercante. Um dos pontos considerados centrais diz respeito à obrigatoriedade de ter embarcações próprias de bandeiras brasileiras para realizar o transporte no País.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais