SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Gestão privada deve pôr fim a interferência de políticos

Gestão privada deve pôr fim a interferência de políticos


Fonte: Valor Econômico (28 de setembro de 2020 )

Além dos ganhos de eficiência na gestão, outro possível benefício da desestatização do Porto de Santos poderá ser o fim de décadas de interferência política direta em sua administração, que foi marcada por indicações de partidos – como o MDB, o PL e o PSB – e investigações por suspeitas de corrupção, avaliam fontes do setor privado ouvida pela Valor.

 

O MDB, do ex-presidente Michel Temer, é apontado como o grupo que teve maior influência sobre o porto desde o fim da década de 1990, quando o partido passou a ser responsável por uma série de indicações para cargos no comando da então Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp, hoje SPA).

 

A avaliação é que o partido nunca deixou de ter poder sobre a gestão, mas, a partir do primeiro governo petista, a autoridade portuária passou a ser um feudo político do então PR (Partido da República), que depois se tornou PL (Partido Liberal), comandado por Valdemar Costa Neto. A partir da criação da Secretaria Especial de Portos, em 2007, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) também passou a ter um peso grande nas indicações a cargos no porto.

 

Já nos últimos anos da era petista e durante o governo de Michel Temer, o MDB voltou a ter mais relevância nas indicações. Nesse período, o PRB (atual Republicanos), de Celso Russomano, também ganhou importância política na região santista.

 

As denúncias de corrupção também marcaram a história recente do porto. No fim de 2018, uma operação da Polícia Federal chegou a prender o então presidente da Codesp José Alex Botelho de Oliva e diretores da estatal, por suspeita de integrarem um esquema de fraudes em licitações para contratar sistemas de tecnologia – os acusados negam as irregularidades.

 

Há ainda os casos de investigação ao ex-presidente Temer, denunciado por supostamente aceitar propina para editar o Decreto dos Portos, que favoreceu empresas que atuam em Santos. Ele também nega as acusações.

 

A reportagem procurou, por meio de contatos oficiais e assessorias de imprensa, o ex-presidente Michel Temer, o MDB, o Republicanos, Russomano, o PSB e o PL, mas nenhum dos grupos enviou posicionamento sobre o assunto até a conclusão deste texto.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais