SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Ministério da Economia anuncia substitutos de secretários que pediram demissão

Ministério da Economia anuncia substitutos de secretários que pediram demissão


Fonte: G1 (14 de agosto de 2020 )

 

‘Há uma debandada’, admite Paulo Guedes após demissão de dois secretários – Clique aqui para assistir

 

O Ministério da Economia anunciou na noite desta quinta-feira (13) os substitutos de Salim Mattar e Paulo Uebel, secretários especiais que pediram demissão nesta terça (11).

 

O ministro Paulo Guedes indicou o engenheiro Diogo Mac Cord como novo secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, vaga que era de Salim Mattar.

 

Mac Cord já fazia parte da ala de secretários, mas comandava a área de Desenvolvimento da Infraestrutura do ministério. Segundo a nota divulgada, o engenheiro tem mestrado em administração pública em Harvard, especializações em investimentos em infraestrutura e regulação do setor elétrico, além de passagens pelo setor privado.

 

Já a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, antes chefiada por Paulo Uebel, passará ao comando do atual diretor-presidente do Serpro, Caio Andrade. O Serpro é uma empresa pública de tecnologia de informação responsável, por exemplo, pela triagem dos cadastros do auxílio emergencial.

 

De acordo com o Ministério da Economia, Andrade é “empreendedor em tecnologia de informação, mercado imobiliário e agronegócio”, com pós em administração e gestão em Harvard e mestrado na universidade de Duke.

 

“Liderou mais de 20 processos de M&A (fusões e aquisições). É fundador e conselheiro do Instituto Fazer Acontecer, organização auto sustentável que causa impacto positivo em quatro mil crianças e adolescentes por meio do esporte no semiárido baiano”, diz o currículo divulgado pela pasta.

 

Com a saída de Andrade, o Serpro passará a ser gerido pelo atual diretor Jurídico e de Governança e Gestão da empresa, Gileno Barreto.

 

‘Debandada’ na Economia

O pedido de demissão de Paulo Uebel e Salim Mattar, na terça, foi classificado pelo próprio ministro Paulo Guedes como uma “debandada”. Segundo ele, os secretários manifestaram insatisfação com o ritmo lento de projetos centrais para as equipes que comandavam – respectivamente, a reforma administrativa e o pacote de privatizações.

 

“Se me perguntarem se houve uma debandada hoje, houve”, disse Guedes. “Nossa reação à debandada que ocorreu hoje vai ser avançar com as reformas.”

 

Sobre as privatizações, Guedes disse ter ouvido de Salim Mattar que o “estabilishment” comanda esforços contrários à venda dos ativos do governo.

 

“O que ele me disse é que é muito difícil privatizar, que o estabilishment não deixa a privatização, que é tudo muito difícil, tudo muito emperrado”, declarou Guedes.

 

Em entrevistas na quarta, Salim Mattar confirmou a opinião. À GloboNews, ele afirmou que as privatizações dependem de “vontade política”, e que deixou o cargo por não se adequar à “lentidão” do poder público.

 

Íntegra

Leia abaixo a íntegra de nota divulgada pelo ministério.

 

Nota à imprensa

 

Ministro da Economia indica novos secretários especiais

 

Secretários vão assumir as secretarias especiais de Desestatização, Desinvestimento e Mercados e de Desburocratização Gestão e Governo Digital

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, indicou os nomes de Diogo Mac Cord para assumir a Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados e Caio Andrade para a Secretaria Especial de Desburocratização Gestão e Governo Digital.

 

Diogo Mac Cord é secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia. É engenheiro mecânico, mestre em Administração Pública pela Universidade de Harvard, onde se especializou em investimentos de infraestrutura, e doutor em Engenharia pela Universidade de São Paulo (USP), onde se especializou em regulação do setor elétrico. Foi professor e coordenador do MBA do setor elétrico da FGV Management e sócio-líder de governo e regulação da infraestrutura da KPMG no Brasil.

 

Caio Andrade é atual diretor presidente do Serpro. É empreendedor em tecnologia de informação, mercado imobiliário e agronegócio. Tem formação em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduação em Administração e Gestão pela Harvard University e mestrado em Administração de Empresas pela Duke University.

 

Liderou mais de 20 processos de M&A (fusões e aquisições). É fundador e conselheiro do Instituto Fazer Acontecer, organização auto sustentável que causa impacto positivo em quatro mil crianças e adolescentes por meio do esporte no semiárido baiano.

 

A presidência do Serpro será ocupada por Gileno Barreto, atual diretor Jurídico e de Governança e Gestão da empresa. É formado em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), pós-graduado e mestrando em Direito Tributário Internacional, e possui MBA em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/SP). Possui vasta experiência em projetos de compliance, na redação de proposições legislativas, em planejamento tributário e suporte jurídico-tributário. Foi consultor de grandes empresas, acumulando uma experiência profissional de 25 anos.

 

O ministro agradece o trabalho realizado pelos secretários Salim Mattar e Paulo Uebel que deixaram os cargos.


Mais lidas


  Na última sexta-feira (08) o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (SOPESP) recebeu, na sua sede, o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (MInfra), Mario Povia.   Essa foi à primeira visita do secretário a entidade desde que assumiu a pasta, em maio deste ano, e […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais