SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Moradores denunciam falta de água em meio à pandemia em Guarujá, SP

Moradores denunciam falta de água em meio à pandemia em Guarujá, SP


Fonte: G1 (28 de julho de 2020 )
Moradores registram falta de água em Guarujá, SP — Foto: Reprodução/Edi Luckas

 

“Não temos água e as contas continuam vindo. Estamos há dias sem uma gota nas torneiras, e ninguém faz nada para resolver essa situação”. O desabafo é de Daniele de Jesus Gomes, de 30 anos, um dos munícipes afetados pela falta de abastecimento de água em diversos bairros de Guarujá, no litoral de São Paulo.

 

Ao G1, Daniele, que é moradora do bairro Areião, no Jardim Enseada, conta que enfrenta problemas decorrentes da falta de água há cerca de um mês. No entanto, há aproximadamente duas semanas, o bairro dela chega a passar de dois a três dias sem água.

 

A munícipe afirma que, mesmo com a falta de água, os moradores continuam a receber contas de valor elevado. “Mesmo sem água, tem gente na rua recebendo conta de R$ 100, R$ 200. Não temos água nem para lavar as mãos depois que chegamos em casa, mas se não pagarmos, a Sabesp arranca o relógio de água”.

 

O problema também acontece no Distrito de Vicente de Carvalho. Moradora do bairro Jardim Boa Esperança, a estudante Eloísa Fernandez, de 21 anos, conta que até a pouca água que enchia os reservatórios da vizinha, durante as madrugadas, deixou de chegar para os moradores.

 

“A gente liga para a prefeitura, para a Sabesp, e eles já não têm mais o que falar para a gente. Até achamos que podia ser um problema de abastecimento na rua, porque algumas casas ainda recebiam água, mas agora acabou para todo mundo”, afirma.

 

Em nota, a Sabesp afirma que trabalha diuturnamente para reduzir os efeitos da estiagem sobre o fornecimento de água à população de Guarujá e Distrito de Vicente de Carvalho. A empresa esclarece que essa é a pior seca dos últimos 20 anos: teve início em março, quando normalmente ocorre de junho a setembro.

 

Em média, conforme explica a Sabesp, choveu 80% menos em comparação com o ano passado. Impactam ainda diretamente na quantidade de água o aumento do consumo em razão da pandemia e o fato de Guarujá ter um elevado número de ligações clandestinas em áreas informais (57% do total de ligações no município). Essas ligações irregulares afetam significativamente a distribuição na rede, em razão das excessivas perdas por causa de vazamentos. A Sabesp é impedida por lei de atuar nas áreas informais, que carecem de regularização municipal.

 

De acordo com a companhia, as chuvas deste domingo (26) contribuíram para uma melhora do sistema, mas ainda assim a Estação de Tratamento de Água (ETA) Jurubatuba, que normalmente fornece 2.000 litros por segundo, hoje opera entre 890 e 910 litros por segundo – situação constatada pela prefeitura em visita ao local na quinta-feira (23).

 

Para atender à demanda atual de água, a Sabesp está alimentando o sistema com mais 550 litros por segundo, por meio da ligação subaquática com Santos. E já disponibilizou 21 caminhões-tanque (além de outros que já estão sendo deslocados), espalhados em pontos estratégicos do município, para atendimento da população. Também está entregando gratuitamente caixas-d’água a moradias sem este equipamento e colaborando com a instalação.

 

Em 2019, a Sabesp assinou contrato para prestação de serviços no município, após anos de informalidade jurídica, iniciando em seguida trabalhos contidos no planejamento estratégico para os 30 anos do acordo, que prevê investimentos de R$ 780 milhões. Estão em andamento obras estruturantes, como a implantação de 37,7 km de novas tubulações no Centro de Guarujá e de 21,5 km em Vicente de Carvalho, e em projeto outras complexas e fundamentais, como a do novo reservatório da Cava da Pedreira.

 

Para contar com os serviços oferecidos, o munícipe pode registrar que está com falta de água em sua residência na Central de Atendimento telefônico, durante 24 horas, no 0800-0550195. A ligação é gratuita. Ou no aplicativo Sabesp Mobile para celulares e tablets iOS ou Android. A Sabesp pede à população que reforce os hábitos de higiene, em razão da pandemia, sem se descuidar do uso consciente da água, contribuindo para uma mais rápida recuperação do sistema.


Mais lidas


  Na última sexta-feira (08) o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (SOPESP) recebeu, na sua sede, o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (MInfra), Mario Povia.   Essa foi à primeira visita do secretário a entidade desde que assumiu a pasta, em maio deste ano, e […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais