SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Câmara aprova MP sobre remarcação de passagens e ajuda ao setor aéreo

Câmara aprova MP sobre remarcação de passagens e ajuda ao setor aéreo


Fonte: Jovem Pan (9 de julho de 2020 )
RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (8) a Medida Provisória 925/20, que trata sobre o reembolso e a remarcação de passagens de voos cancelados durante a pandemia do novo coronavírus, que causa a Covid-19. Agora, o texto do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), seguirá para o Senado.

 

A Medida também prevê ajuda ao setor aeronáutico e aeroportuário e acaba com o adicional de embarque internacional. Originalmente, a MP previa o reembolso em 12 meses sem penalidades e adiava o pagamento de parcelas de outorga de aeroportos – as demais mudanças no texto foram incluídas pelo relator.

 

Sobre o reembolso de passagens em razão do cancelamento de voos entre 19 de março e 31 de dezembro de 2020, o texto prevê o pagamento ao consumidor em 12 meses, a contar da data do voo cancelado. O valor deverá ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e, quando cabível, a companhia continua com a obrigação de prestar assistência material, como lanches, telefonemas e pernoite, segundo regulamentação já existente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 

A companhia aérea poderá oferecer ao passageiro a opção de receber um crédito de valor igual ou maior que o da passagem. O consumidor ou terceiro indicado por ele poderá utilizar o crédito dentro de 18 meses de seu recebimento para a compra de produtos ou serviços oferecidos pelo transportador.

 

Se o consumidor desistir de voo cuja data de início esteja no período entre 19 de março e 31 de dezembro, ele poderá optar por receber o reembolso com eventuais penalidades constantes do contrato de transporte ou pelo crédito sem penalidades. Em todas essas situações, o crédito deverá ser concedido em até sete dias da solicitação. A exemplo do que já ocorre em caso de cancelamento, a companhia aérea deverá oferecer como alternativa ao reembolso, sempre que possível, a reacomodação em outro voo ou a remarcação da passagem sem ônus.

 


Mais lidas


Conheça um pouco sobre a trajetória e o trabalho exercido pelos advogados de nossas associadas - Vivian Carvalho, gerente jurídico e compliance da Brasil Terminal Portuário e Leandro Fernandes, gerente jurídico do Terminal 12A. Pelo SOPESP, nossa Relações Institucionais, Marcelli Mello e nossa Assessora Jurídica, Gislaine Heredia.

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais