SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   IMO reconhece trabalho da tripulação por ocasião do Dia dos Marítimos

IMO reconhece trabalho da tripulação por ocasião do Dia dos Marítimos


Fonte: Mundo Marítimo (25 de junho de 2020 )

O Dia dos Marítimos é comemorado em 25 de junho, com o objetivo de reconhecer a contribuição dos trabalhadores marítimos do mundo para o comércio marítimo internacional, a economia e a sociedade civil como um todo. Diante do cenário da pandemia de coronavírus (Covid-19), a Organização Marítima Internacional (OMI) prestou homenagem especial a eles, por continuarem transportando bens essenciais, apesar de enfrentar enormes desafios, como incertezas, dificuldades em acessar portos e revezamentos e complicações durante as trocas de tripulações e repatriações.

 

“A campanha do Dia dos Marítimos de 2020 quer homenagear os marítimos e reconhecer os sacrifícios e problemas que estão enfrentando. Muitas dessas pessoas estão longe de suas casas há meses e não sabem quando poderão voltar para suas países devido a restrições de viagem “, argumentaram.

 

Por isso, instaram os Estados-Membros a reconhecerem os marítimos como trabalhadores essenciais e a conceder-lhes o apoio, a assistência e as opções de viagem disponíveis a todos os trabalhadores essenciais nesta pandemia. A campanha também busca aumentar a conscientização sobre o sacrifício dos marítimos e os problemas que eles enfrentam. “As restrições de viagem deixaram centenas de milhares de marítimos presos no mar, sem saber quando poderão voltar para casa. Muitos estão cansados porque seu tempo no mar foi prolongado por meses além do máximo estipulado no acordos internacionais “, destacaram.

 

Por sua parte, o Secretário Geral da IMO Kitack Lim destacou o trabalho único e essencial dos marítimos, que contribuem com 80% do comércio mundial em volume. Ele também elogiou a dedicação, profissionalismo, força e perseverança diante da impossibilidade de prosseguir com as mudanças da equipe e de ser repatriado.

 

Lim também enfatizou as dificuldades enfrentadas pelos marítimos, incluindo a incapacidade de obter passaportes e vistos para embarcar ou desembarcar de seus navios, falta de acesso a cuidados médicos e falta de equipamento e proteção pessoal.

 

Deve-se notar que Kitack Lim dirigiu-se a todos os Governos Membros da OMI por escrito para instá-los a reconhecer os marítimos como “trabalhadores essenciais”. Enquanto isso, o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, juntou-se à chamada agradecendo e saudando os marítimos de todo o mundo por seu trabalho e instando os governos a fazer todo o possível para apoiá-los nesses tempos difíceis.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais