SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Governo chinês impõe quarentena a tripulações de navios de 13 países

Governo chinês impõe quarentena a tripulações de navios de 13 países


Fonte: Valor Econômico (16 de abril de 2020 )

A China impôs uma quarentena de 14 dias às tripulações de navios de 13 países, entre eles Estados Unidos, França, Japão e Alemanha. A medida tem por objetivo evitar a entrada de estrangeiros contaminados com o novo coronavírus no gigante asiático.

 

Com a restrição, parte dos 7 mil tripulantes dos quase 500 navios que chegam aos portos chineses todos os dias deve ser afetada, segundo informação da Administração de Segurança Marítima do país, o que poderá ter impactos negativos no comércio mundial, de acordo com consultorias privadas locais.

 

Ao Valor, o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Ribeiro, afirmou que a medida não afeta as exportações do agronegócio brasileiro para a China. “Não há falta de contêineres e o Brasil não está na lista de países sujeitos à quarentena de 14 dias”.

 

Segundo ele, até o momento, o governo não observou nenhum movimento prejudicial às exportações brasileiras para qualquer país.

 

Ribeiro afirmou, ainda, que o Ministério da Agricultura e demais órgãos da Esplanada acompanham a situação na China para avaliar possíveis impactos ao Brasil e que ainda não está claro se eles serão negativos ou positivos. Ele destacou, por exemplo, que há acúmulo de contêineres na China – que em nada prejudica o país -, mas que diversos concorrentes terão aumento no custo logístico com as novas restrições.

 

Um comunicado emitido na manhã de ontem pelos adidos agrícolas brasileiros na China ressaltou a possibilidade de a que a medida implementada pelo governo de Xi Jinping resulte em novos problemas na logística marítima mundial.

 

O texto afirma que é esperada uma nova onda de cancelamentos de viagens, o que poderá gerar uma “diminuição temporária da capacidade de remessa de cargas, com aumento dos preços dos fretes, mesmo quando a China e o resto do mundo começarem a se recuperar do impacto econômico da pandemia”.

 

Uma consultoria chinesa citada no comunicado dos adidos brasileiros recomenda que o planejamento logístico seja feito com antecedência, “pois poderá haver falta de espaço nos navios assim que a atividade econômica reiniciar”.

 

A quarentena aos navios estrangeiros afeta tripulações dos Estados Unidos, Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia e Suíça. A medida inclui os principais portos chineses, como Xangai e Ningbo-Zhoushan.

 

Apenas nos três primeiros meses deste ano, o agronegócio brasileiro exportou US$ 7,2 bilhões para a China, um terço do total. Os principais produtos enviados ao pais foram soja em grão, celulose, carnes e algodão.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais