SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Açu e Norsul vão oferecer cabotagem de contêineres

Açu e Norsul vão oferecer cabotagem de contêineres


Fonte: Valor Econômico (24 de março de 2020 )
José Firmo, presidente da Porto do Açu Operações, destaca que a parceria é um passo importante para integrar a logística do Açu aos portos próximos — Foto: Leo Pinheiro/Valor

A Porto do Açu Operações, responsável pela gestão do complexo portuário da Prumo Logística, em São João da Barra (RJ), pretende lançar neste ano dois novos serviços no seu terminal multicargas (T-MULT). A empresa fechou uma parceria com o grupo Norsul, para entrar na cabotagem de contêineres e, em paralelo, busca parceiros para estrear na importação e armazenagem de fertilizantes.

 

O presidente da Porto do Açu Operações, José Firmo, conta que a ideia é provar esses dois novos conceitos em 2020, para daí então tomar a decisão investimento sobre a expansão do T-MULT – terminal privado da Prumo que movimenta coque, carvão, bauxita, gipsita, ferro gusa, carga geral e de projetos. Firmo reconhece que o Açu não está imune à atual turbulência global e que o momento pede cautela, mas destaca que a visão estratégica da empresa mira o longo prazo. Segundo ele, a companhia aposta nas limitações dos portos vizinhos da região Sudeste para se consolidar como rota de entrada e saída de cargas no futuro.

 

O primeiro passo para entrar no negócio de cabotagem de contêineres foi dado pelo Açu nos últimos dias, ao fechar parceria com a Companhia de Navegação Norsul para lançar o serviço de transporte marítimo de curta distância de contêineres e cargas de projeto entre os portos do Rio e Açu. As operações começam em junho. Pelo acordo, a Norsul entra com a frota e o Açu com a infraestrutura do porto. A gestão comercial será feita em conjunto pelas duas empresas.

 

“Temos este ano para avaliar a implementação desses projetos e começar o projeto de expansão do T-MULT, com a decisão de investimento que, infelizmente, hoje, com todas as incertezas, só vai vir depois de provarmos os conceitos”, disse Firmo ao Valor. “[A economia brasileira] Não tem crescido há muitos anos. E é a volta do crescimento que estressa a infraestrutura que está ao nosso lado e facilita o nosso crescimento”, completou o executivo.

 

Inicialmente, o serviço – na modalidade transporte marítimo de curta distância (“feeder short distance”, em inglês) – vai operar com um comboio oceânico com capacidade para transportar 350 unidades por pernada, com saídas regulares a cada 15 dias. Firmo destaca que a parceria é um passo importante para integrar a logística do Açu aos portos ao redor e trazer regularidade à demanda do T-MULT. Hoje, o terminal é utilizado apenas no mercado spot.

 

A ideia é que o comboio faça o trajeto Rio-Açu levando equipamentos para a indústria petrolífera de Macaé (RJ), importante base de apoio do setor de óleo e gás e que está a cerca de 150 quilômetros do Açu. Além disso, os contêineres levarão produtos para a rede de varejo da região – Campos dos Goytacazes, por exemplo, tem 500 mil habitantes. No sentido contrário, a aposta está no escoamento do café do sul de Minas e das pedras ornamentais de Cachoeiro de Itapemirim (ES) para exportação.

 

Firmo acredita que o serviço se mostrará atrativo para as empresas que hoje fazem suas viagens até o Porto do Rio de caminhão. A expectativa é que em três meses a cabotagem Açu-Rio esteja consolidada, ou seja, com uma demanda regular numa carga suficiente para pagar o serviço. No futuro, o plano é expandir as atividades para portos de Vitória (ES) e Salvador (BA).

 

O diretor-presidente da Norsul, Angelo Baroncini, destaca que a parceria marca a volta da empresa à cabotagem de contêineres, depois de 25 anos. A medida faz parte da estratégia de diversificação da empresa, hoje muito focada no transporte de cargas de projetos.

 

“Inicialmente um comboio fará o bate-volta Rio-Açu. Mais para frente podemos ter uma espécie de esteira operando: uma barcaça sendo carregada no Açu, ao mesmo tempo em que uma é descarregada no Rio, uma sobe com carga do Rio para o Açu e outra desce do Açu para o Rio, girando”, explica.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais