SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Porto de Recife ganhará complexo multiuso de R$140 milhões que vai gerar 3,3 mil empregos

Porto de Recife ganhará complexo multiuso de R$140 milhões que vai gerar 3,3 mil empregos


Fonte: SDEC - Secretaria de Desenvolvimento Econômico (12 de março de 2020 )
Foto: Marlon Diego/Sdec

 

O movimento de urbanização da zona portuária do Bairro do Recife vai receber mais um empreendimento de peso. Foram iniciadas neste mês, oficialmente, as obras de construção do complexo multiuso que vai integrar um hotel com marina e um centro de convenções. O investimento total é de cerca de R$ 140 milhões e devem ser gerados 1.430 empregos diretos somente na construção. Na operação dos equipamentos, com início previsto para o primeiro semestre de 2022, a demanda por mão de obra será ainda mais forte: 3.380 postos de trabalho serão criados, entre diretos e indiretos. Trata-se de mais uma etapa da revitalização da área não operacional do Porto do Recife, que vem transformando a área histórica da cidade em um centro de cultura, lazer e negócios.

 

A nova estrutura vai se instalar onde ficavam os armazéns 15, antigo prédio da Conab, 16 e 17 do Porto do Recife, nas imediações do Cais de Santa Rita, e é de responsabilidade da incorporadora Porto Novo Recife, que fará todo o aporte financeiro na construção. De acordo com detalhes do projeto, o hotel será de porte quatro estrelas, com 240 leitos, e terá uma marina, com capacidade para atracar 136 barcos e veleiros de até 70 pés. O estabelecimento terá restaurantes, lojas, bares, salas de reunião, piscina e 136 vagas de garagem. Já o centro de convenções terá capacidade para eventos com até 4 mil pessoas e flexibilidade de espaço para receber convenções, exposições e para montagem de auditório. Ainda terá 231 vagas de garagem.

 

 

Para selar o início das atividades, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; o prefeito do Recife, Geraldo Julio; o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach; e o presidente do Porto do Recife, Carlos Vilar, dentre outras autoridades da gestão estadual, reúnem-se com o corpo gestor do projeto, na manhã desta terça-feira (10), no Palácio do Campo das Princesas.

 

“Esse processo de revitalização da área portuária do Recife passa a contar com um novo modelo de empreendimento, que gera muito emprego e renda, transformando a economia da região. E os novos equipamentos vão se somar às recentes mudanças implementadas nas proximidades do Porto e no próprio ancoradouro, modernizando um importante espaço urbano do Recife”, destaca o governador Paulo Câmara.

 

Os armazéns integram o pacote dos sete espaços cedidos à iniciativa privada, que vão da antiga Ponte Giratória às imediações do Forte do Brum. O de número 9 passou a ser utilizado para fins corporativos, com a chegada da Accenture. Nos armazéns 12 e 13 passaram a funcionar bares e restaurantes. Já o Armazém 14 se transformou em um espaço de eventos. Além da participação da iniciativa privada, outros equipamentos instalados na zona portuária integram a infraestrutura urbana do local: o Terminal Marítimo, a Central de Artesanato e o Cais do Sertão, estes administrados pelo Governo de Pernambuco.

 

O secretário Bruno Schwambach pontua que o trabalho segue para fazer o Bairro do Recife ser um espaço bem ocupado, movimentando esses equipamentos. “A gente entende que essa região é estratégica, ela está no radar do Estado para torná-la um local referência no que se trata de modelo de cidade. O Estado vem cuidando da infraestrutura, na atração de empresas para movimentar o comércio de restaurantes, bares e afins, além da movimentação de pessoas em eventos dentro do ecossistema do Porto Digital. A chegada ao espaço desses armazéns já mostra que esse movimento está transbordando a ilha do Bairro do Recife, um excelente sinal”, reforça o secretário.

 

O diretor do projeto do Porto Novo Recife, Romero Maranhão Filho, explica que o novo bloco de investimentos se torna mais um projeto na integração da população aos equipamentos urbanos recifenses. “É um conceito amplo de urbanização, de ocupação da cidade. A revitalização da área de Porto ganha mais um equipamento, um projeto versátil, de impacto turístico, com olhar de negócios e que vai demandar ainda mais do bairro. Por outro lado, se torna mais um ponto de atração de eventos, podendo, inclusive, ser o promotor de congressos, de rodadas de negócios, encontros corporativos, com o grande ganho de ter um hotel incorporado ao projeto.”

 

IMPACTO NO SETOR DE SERVIÇOS

A entrega de um equipamento desse porte repercute diretamente no setor de Serviços, principal agente econômico da cidade. O segmento é estratégico, inclusive, para Pernambuco, tanto em geração de riquezas quanto na empregabilidade. Para se ter ideia, o Produto Interno Bruto (PIB) do setor de Serviços do Recife (dados de 2017) gerou R$ 58,32 bilhões em riquezas. Isso representa mais de 70% do PIB total do município e 32,12% do PIB total de Pernambuco.

 

Em relação aos empregos gerados, o recorte é ainda mais expressivo. O setor de Serviços do Recife reúne mais de 580 mil postos de trabalho com carteira assinada, o que representa 87,9% dos vínculos formais de toda a cidade. Esse montante representa 36,3% de todos os empregos do Estado.

 

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO BAIRRO

As intervenções no Bairro do Recife consistem em, a partir de um convênio entre o Governo de Pernambuco e a iniciativa privada, entregar à cidade uma nova infraestrutura, ocupando as áreas não operacionais do Porto do Recife. Trata-se de um grande projeto de requalificação e reurbanização de áreas nobres que vão dialogar e enriquecer as opções de lazer, cultura, comércio, arqueologia e turismo do Bairro do Recife.

 

Armazéns reformados e novas obras reúnem o Centro de Artesanato de Pernambuco, o Cais do Sertão Luiz Gonzaga, o Terminal Marítimo de Passageiros, com a sala Pernambuco integrada a ele, além de escritórios, restaurantes e bares. O projeto também contempla a obra de que inicia hoje: um hotel, uma marina internacional, um centro de convenções, e também a reurbanização de todo o entorno desses equipamentos.

 

ESPAÇOS INTEGRANTES DO PORTO DO RECIFE 

Foto: Marlon Diego/Sdec

 

CENTRO DE ARTESANATO DE PERNAMBUCO – A reforma e as novas intervenções transformaram o antigo armazém portuário em uma grande loja para a exposição e venda do mais qualificado artesanato produzido no Estado, seguindo os rigores para a preservação da história do imóvel, construção eco-eficiente e curadoria na seleção das peças a serem expostas agradou especialistas do tema e visitantes interessados em artesanato. O Centro possui um espaço para exposições e um pequeno auditório.

 

Foto: Hesíodo Goes/SETUR

 

CAIS DO SERTÃO LUIZ GONZAGA – Construído no local do antigo Armazém 10 do Porto do Recife, o Centro Cultural e Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga retoma a profecia de Antônio Conselheiro: a união do mar e do Sertão nordestino tendo como moldura um dos projetos arquitetônicos mais arrojados atualmente em curso no País. Assinado pela Brasil Arquitetura, escritório fundado em 1979, em São Paulo, e responsável pelo Museu Rodin (BA) e a Praça das Artes (SP), o projeto do Cais do Sertão transforma os 7,5 mil metros quadrados de área construída em uma experiência de imersão na cultura popular nordestina.

 

O centro cultural e museu estão divididos em duas edificações – Módulo 1 e Módulo 2. No Módulo 1 será instalado o museu, uma estrutura em concreto armado, com coberturas metálicas, mantendo as características do armazém originalmente existente no local. No interior, dividindo os espaços, um sulco tortuoso no piso, preenchido por seixos e com iluminação especial, representa o Rio São Francisco. Uma estrutura metálica em forma elíptica revestida de chapas de aço, o Útero, chama a atenção pelas suas dimensões. Também foram projetados mezaninos de concreto armado, com grandes vãos livres e balanços de modo a manter o nível térreo o mais aberto possível, já que será utilizado como área de exposições.

 

O Módulo 2 também tem forma simples, porém uma estrutura ainda mais sofisticada. Um vão livre (concreto protendido) libera a vista para o oceano, nos seus 56 metros de extensão, de viga a viga, e seis metros de pé-direito.

 

TERMINAL MARÍTIMO DE PASSAGEIROS – Dentro do espaço do Porto do Recife, no antigo armazém sete, mais ao norte, o Terminal Marítimo de Passageiros, com a Sala Pernambuco, estabeleceu um novo padrão de embarque, desembarque e trânsito de passageiros, quando da presença de navios de cruzeiro. O terminal é comparável ao saguão de modernos aeroportos e a sala Pernambuco, integrante do mesmo, um espaço comercial e gastronômico para que os turistas, em passagem pelo Estado, conheçam parte de nossas atrações em pouco tempo.

 

Foto: Marlon Diego/Sdec

 

SOBRE O PORTO NOVO RECIFE

A transformação dos antigos armazéns de cargas é uma obra de impacto econômico e urbano. Os sete antigos armazéns (armazéns 9, 12, 13, 14, 15, 16 e 17) vêm sendo reformados para abrigar escritórios, restaurantes, bares, lojas de entretenimento e pontos comerciais. A etapa iniciada nesta terça-feira contempla mais um passo do plano de ação do trabalho.

 

De acordo com a licitação, cada armazém cumprirá uma função. O 9 cumpre a função de explorar escritórios para desempenho de atividades comerciais compatíveis com o plano de desenvolvimento da cidade. São escritórios modernos, com central de ar-condicionado eco-eficiente, gerador próprio de eletricidade, controle de acesso seguro e informatizado, circuito fechado de TV e vagas com garagem privativas para todas as unidades.

 

Os Armazéns 12, 13 e 14 passaram a funcionar com restaurantes, bares, lojas de entretenimento e comerciais, espaços para exposições e eventos fechados. Será no terreno do armazém 15 e do antigo prédio da Conab que ficará o hotel, com restaurantes, lojas, bares, salas de reunião, piscina, academia de ginástica e número de vagas de garagem compatível. Os espaços dos armazéns 16 e 17 contarão com centro de convenções integrado ao hotel, com capacidade mínima para 4 mil pessoas, com espaços modulares, para possibilitar o maior número de eventos possíveis.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais