SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Diretoria e Conselho Fiscal do Conapra tomam posse em cerimônia prestigiada em Brasília

Diretoria e Conselho Fiscal do Conapra tomam posse em cerimônia prestigiada em Brasília


Fonte: Praticagem do Brasil (19 de fevereiro de 2020 )

Diversas autoridades em nível federal prestigiaram, na última quinta-feira (6/2), a posse da Diretoria e do Conselho Fiscal do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), no Clube Naval de Brasília.

 

Em seu primeiro discurso, o Diretor-Presidente eleito e Vice-Presidente da Associação Internacional de Práticos Marítimos (IMPA), Prático da Amazônia Ricardo Falcão, disse que vai trabalhar, nos próximos dois anos, para que a sociedade conheça a importância do serviço de Praticagem para o país:

 

– Se a praia está limpa, a Praticagem é parte deste sucesso. Se colônias de pescadores, ribeirinhos e comunidades indígenas bebem a água de nossos rios, pescam os seus sustentos e têm preservadas as águas que irrigam a mata atlântica, os manguezais e os açaizais, é porque há mais de duzentos anos estamos presentes garantindo que assim permaneça, acidente zero! Se a nossa economia flui por meio do transporte marítimo e fluvial, que carrega cerca de 94% da nossa balança comercial, permitindo as trocas comerciais de exportadores e importadores e ainda que regiões econômicas floresçam, isso significa que o serviço essencial da Praticagem é bem executado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo Falcão, é preciso lembrar ainda aos encarregados das atividades aquaviárias que Praticagem obrigatória significa controle do Estado sobre a segurança da navegação e que a principal responsabilidade de um Prático é proteger o interesse público. Por isso, ele vai prosseguir com a defesa do atual modelo de regulação, no qual a escala de rodízio única impede que o Armador escolha quem vai atendê-lo:

 

– A maneira mais efetiva de assegurar que Práticos não sejam indevidamente afetados por pressões econômicas é garantir que operem em um sistema regulatório em que não sejam forçados a competir entre si. Se um Prático tem que competir com outro por causa de uma manobra e o seu sustento depende de agir não em prol do interesse público, mas do interesse de quem o selecionará para a faina, a segurança da navegação será certamente relegada a um segundo plano. Vimos isso em outros países.

 

O Prático de Paranaguá Gustavo Martins, que deixou o cargo de Diretor-Presidente, prometeu apoio irrestrito ao sucessor e aproveitou para fazer um balanço das promessas anunciadas no início da sua gestão em 2015. Além da defesa da autonomia da atividade, ele disse que, apesar das queixas sobre o preço do serviço, é possível afirmar que hoje 97% dos movimentos portuários no Brasil são atendidos por acordos firmados com as entidades de Praticagem.

 

 

Entre outros avanços, ele citou a presença do Conapra em fóruns, audiências e reuniões para esclarecer a comunidade sobre a atividade; a contribuição dos Práticos no desenvolvimento de projetos, vista na participação expressiva dos profissionais em simulações de manobras realizadas pela Universidade de São Paulo; as inovações no Curso obrigatório de Atualização para Práticos (ATPR), que inicia o seu quarto ciclo; a realização de seminários em áreas fundamentais para o desempenho da atividade, como Gestão de Riscos e Hidrografia; os estudos em andamento dos riscos relacionados às operações de acessos náuticos, também em parceria com a USP; o lançamento do Curso de Conhecimentos Náuticos para os operadores das estações de Praticagem; os investimentos para aumentar a segurança no embarque e desembarque de Práticos nos navios; e o apoio ao fortalecimento da mentalidade marítima no país.

 

– Assumi mês passado a Federação Nacional dos Práticos, na qual continuarei o trabalho de implantar a estrutura sindical nas Zonas de Praticagem, de forma que todos estejam representados e possamos pensar num futuro próximo na regulamentação da profissão, hoje regulada somente no âmbito da autoridade marítima – finalizou o Ex-Diretor-Presidente.

 

Representando na cerimônia o Comandante da Marinha do Brasil, Almirante Ilques, o Diretor de Portos e Costas, Almirante Roberto, falou sobre a relação da Praticagem com a Diretoria, responsável por regulamentar o serviço no âmbito da Autoridade Marítima Brasileira:

 

– Sempre temos um contato muito franco e amigo com o Conapra. O Comandante Gustavo já conheço de longa data, desde a Escola Naval, e tivemos um relacionamento muito fácil e tranquilo. E com o Prático Ricardo Falcão também tenho certeza que será da melhor forma possível. Já tenho um contato grande com ele, nos encontramos em diversos eventos e é um profissional brilhante – afirmou o Almirante, que comentou ainda sobre o baixíssimo índice de acidentes na atividade, próximo de zero. – A capacidade técnica da Praticagem é excelente, nunca é colocada em prova.

 

O Diretor-Geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Mário Povia, foi outro que elogiou a qualidade do serviço:

 

– Tenho um profundo respeito pela excelência do trabalho da Praticagem, reconhecido no Brasil inteiro pelo zelo não só pela carga, mas pela segurança da navegação, pela proteção de vidas humanas e da infraestrutura do Brasil.

 

Para Povia, o momento também é bom para explicar ao Ministério da Economia o que é o serviço de Praticagem e o que faz Brasil afora, em todos os recantos:

 

– O Conapra está com a pessoa certa para tocar essa agenda adiante, inclusive no Congresso.

 

O Senador suplente Josiel Alcolumbre (AP) representou o irmão e Presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Ele fez um reconhecimento à atuação do Prático Gustavo Martins nos últimos anos e saudou a chegada do novo Diretor-Presidente, que é lotado na Zona de Praticagem que inclui o seu estado, o Amapá.

 

– Ter o Falcão na presidência do Conselho Nacional de Praticagem é a certeza de que a segurança portuária brasileira está em ótimas mãos.

 

O evento foi prestigiado ainda pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski; pelos Ministros do Superior Tribunal de Justiça, Luis Felipe Salomão, Marco Buzzi, Paulo Dias de Moura Ribeiro e Ricardo Villas Bôas Cueva; pelo Secretário-Adjunto da Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade do Ministério da Economia, Alexandre Messa; pelo Ex-Ministro dos Transportes, Valter Casimiro; pelo Senador Wellington Fagundes (MT), Presidente da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura (Frenlogi); pelo Senador Paulo Albuquerque (AP); pelos Deputados Federais Vinicius Carvalho (SP) e Ossesio Silva (PE); pelos demais Diretores da Antaq, Francisval Mendes e Adalberto Tokarski; pelo Comandante do 7º Distrito Naval, Almirante Borges; além de representantes das Praticagens e de autoridades portuárias e operadores dos setores marítimo e portuário.

 

Veja como ficou a nova diretoria do Conapra:

Diretor-Presidente 

Ricardo Falcão (Praticagem do Amapá)

Diretor Vice-Presidente

Otavio Fragoso (Praticagem do Rio de Janeiro)

Diretoria

Bruno Fonseca (Praticagem do Ceará)

João Bosco (Praticagem do Rio Grande/RS)

Marcos de Castro Alves (Praticagem do Amapá)

Conselho Fiscal

Claudio Peres de Queiroz (Praticagem do Amapá)

Igor Sanderson (Praticagem de Areia Branca/RN)

Ivan Ricci (Praticagem do Rio Grande/RS)

 


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais