SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Em 2020, Vitória pode voltar a fazer parte da rota de navios de cruzeiros

Em 2020, Vitória pode voltar a fazer parte da rota de navios de cruzeiros


Fonte: ES HOJE (9 de janeiro de 2020 )
Navio de Cruzeiro no Porto de Vitória, em 2017 — Foto: Divulgação

O Espirito Santo se prepara para desenvolver um ramo turístico que, anualmente, gera milhões na economia de cidades da costa brasileira. Segundo o secretário de Turismo do Estado, Dorval Uliana, estudos estão sendo realizados junto a diversos organismos, como Codesa, Governo do Estado, Prefeitura de Vitória, Marinha, Ibama, Praticagem e Polícia Federal, para que até a temporada 2020/2021, que vai de novembro à março, navios possam incluir novamente Vitória à rota dos navios de cruzeiro.

 

Dentre as razões para isso não acontecer estão as mudanças no perfil do Porto de Vitória e dos próprios navios de cruzeiros, que ao passar dos anos estão com a capacidade cada vez maior. Outro fator, é a distância para o navio atracar na costa capixaba e a estrutura mínima para isso acontecer.

 

“O intuito é de viabilizar um novo ponto de fundeio para que os navios venham e parem sem uma condição só de escala e não de embarque aqui por Vitória. Isso significa ter toda uma operação que é mais complexa, que fazem o primeiro embarque aqui e esse ponto é predefinido, mas não está autorizado porque precisam de estudos ambientais bastantes caros que estão sendo conversados com a Codesa e a Marinha”, explicou Uliana.

 

Ponto de fundeio 

Esse novo ponto de fundeio na costa de Vitória ficará localizado entre a Ilha do Boi e o Porto de Tubarão, com receptividade para os turistas, que desembarcarem dos navios, no píer atrás do Shopping Vitória. Toda essa locomoção do navio até terra firma é feita por meio de barcos com capacidade para até 120 pessoas.

 

Todo esse preparo e preciso, porque os navios atuais apresentam capacidade grande, que não é comportado pelo Porto de Vitória. Tudo isso será realizado pela parceria com a Prefeitura de Vitória, por meio da Companhia de Desenvolvimento, Inovação e Turismo de Vitória (CDV). De acordo com diretor-presidente da companhia, Leonardo Krohling, esse tipo de turismo não vem mais a Vitória atualmente. Porém, se puder agregar seria de grande valia para a capital capixaba.

 

“Tem um interesse por parte das operadoras de terem Vitória no trajeto dos cruzeiros, já que aumentou o turismo de lazer aqui. A gente precisa é dessa aprovação de Capitania dos Portos e da Codesa com um ponto de fundeio para gente iniciar como uma escala. É muito difícil depender de outro órgão para colocar datas, mas a gente entende que eles precisam de todos os estudos”, ressaltou Krohling.

 

Com o ponto de fundeio a forma de o navio ficar será conhecida como não “joga ferro”. Ou seja, não haverá o lançamento da âncora. Segundo Uliana, ele fica estacionado no mesmo local controlado por equipamentos e é uma atividade bastante complexa.

 

“A intensidade dos ventos de Vitória dados os tamanhos dos navios não torna essa ação segura e tudo caminha para que tudo seja melhor definido para que a gente possa retomar essa importante atividade turística. Se tiver uma mudança de vento intensa, por exemplo, e o navio jogar âncora a gente precisa ter um estudo do fundo do mar para saber que a âncora não engancha em alguma pedra, da Ilha do Boi ao Porto de Tubarão”, esclareceu.

 

Porto de Vitória 

Por meio de nota, o Porto de Vitória informa que quando acionado sobre a vinda de algum navio de cruzeiro, atua junto com o segmento (governo, prefeitura de Vitória, agentes das empresas de cruzeiros, dentre outros) para viabilizar o receptivo dos passageiros no Cais Comercial de Vitória.


Mais lidas


    A desestatização do Porto de Santos deve ser concluída até o fim de 2022, de acordo com o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários no Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, durante o III Congresso de Direito Marítimo e Portuário. De acordo com ele, a consulta pública deve ser aberta até o fim […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais