SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Equalização do calado noturno e aumento de calado gera redução de custos em Paranaguá

Equalização do calado noturno e aumento de calado gera redução de custos em Paranaguá


Fonte: Portos e Navios (18 de dezembro de 2019 )

A TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, recebeu uma nova ordem de serviço da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) que atualiza as condições operacionais, aplicando o calado variável por condições de maré. Além disso, as condições de navegação diuturnas foram equalizadas, o que torna as janelas operacionais do terminal mais flexíveis e resulta em redução de custo para toda a cadeia logística e produtiva.

 

A ordem de serviço revisou o Capítulo 8 da norma, que estabelece os parâmetros dos navios para tráfego e permanência nos portos de Paranaguá e atualizou as condicionantes para acesso ao canal da Galheta e atracação de navios. Na prática, a nova norma estabelece calado em maré zero (medida da linha ou superfície da água até a quilha) de 11,3 metros, representando um aumento mínimo de 40 centímetros por operação.

 

“A equalização do calado diurno e noturno no canal, bacia e berços dos portos do Paraná, era uma reivindicação antiga e muito relevante para a cadeia produtiva que demanda o segundo sistema portuário da América Latina. Sua realização tem impacto muito positivo para os negócios realizados, fazendo que sejamos um dos primeiros portos brasileiros aptos a receber os maiores navios que atuam no comércio exterior na América Latina”, explica Juarez Moraes e Silva, diretor Institucional da TCP.

 

Entenda

A atualização das condicionantes específicas para o canal da galheta e atracação de navios prevê que o calado máximo de navegação permitido é de 12,5 metros, observando algumas premissas. De acordo com o documento emitido pela APPA, para a altura de maré zero, o calado de referência é de 11,3 metros.

 

Com a definição, navios de até 245 metros de comprimento e 36 metros de boca podem carregar até atingirem calado de 12,5 metros. Já os navios com até 298 metros de comprimento e 45,2 metros de boca, podem carregar até atingirem 12,3 metros de calado.

 

Para os navios entre 299 e 368 metros de comprimento e até 51 metros de boca, a calado máximo atingido será de 11,8 metros. A expectativa da TCP é que os navios de contêineres saiam de Paranaguá carregados com no mínimo mais 160 contêineres por operação. Para o ano 2020, a estimativa é de que isso represente um aumento de 10% na movimentação total da TCP.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais