SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Principal parceiro comercial do Brasil, China absorve 28% das exportações brasileiras até novembro

Principal parceiro comercial do Brasil, China absorve 28% das exportações brasileiras até novembro


Fonte: Comex do Brasil (9 de dezembro de 2019 )

Brasília – Apesar da queda de de 2,07% nas exportações, o Brasil acumula um superávit de US$ 24,959 bilhões no comércio com a China entre os meses de janeiro e novembro, comparativamente com o mesmo período de 2018. A China foi o destino final de 28% do volume total exportado pelas empresas brasileiras, mais que o dobro dos 13,1% embarcados com destino aos Estados Unidos.

 

Por outro lado, as vendas chinesas para o Brasil cresceram 6,28%  nesse período e  totalizaram US$ 27,997 bilhões, correspondentes a 17% das importações totais brasileiras. Nos onze primeiros meses do ano, a balança comercial com a China proporcionou ao Brasil um superávit de US$ 24,959 bilhões.

 

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, a forte alta de 59,8% nas vendas de carne bovina foi o grande destaque do ano no intercâmbio comercial com os chineses, proporcionando uma receita de US$ 2,179 bilhões. A carne bovina foi o quinto principal item na pauta exportadora brasileira para o país asiático.

 

Os dados da Secex mostram também a forte concentração dos produtos básicos, de menor valor agregado, nas exportações para a China, com um percentual de 88,8% no período janeiro-novembro deste ano. Mostram também a participação insignificante dos bens manufaturados nesse intercâmbio comercial, da ordem de apenas 1,18%.

 

Em termos de receita, os produtos básicos geraram um faturamento de US$ 51,15 bilhões (queda de 2,5%), enquantos os bens semimanufaturados, com alta de 5,2% somaram US$ 5,4 bilhões e embarques de produtos manufaturados totalizaram US$ 1,07 bilhão, com uma queda de 15,0% comparativamente com o mesmo período do ano passado.

 

A soja segue liderando as exportações brasileiras para o seu principal parceiro comercial, apesar de registrarem uma queda de 23,8% . Este ano, os embarques da oleaginosa acumulam uma receita de US$ 19,59 bilhões. Outros destaque nas vendas para os chineses no acumulado do ano até novembro foram o petróleo, no total de US$ 13,6 bilhões (participação de 24% e alta de 3,7%), minérios de ferro, com receita de US$ 12,12 bilhões (alta de 21,3% e participação de 21%) e celulose, com uma receita no montante de US$ 3,05 bilhões (queda de 2,6% e participação de 5,3% no total exportado para os chineses).

 

Em relação às importações, mantém-se o status quo e o intercâmbio bilateral permanece inalterado e a China segue exportando para o Brasil quase que exclusivamente produtos industrializados, responsáveis este ano por 98,2% de todo o volume embarcado. Enquanto isso, os semimanufaturados, com uma receita de US$ 106 milhões, responderam por 0,32% do volume exportado e os itens básicos ficaram com uma fatia de 1,41%, gerando uma receita de US$ 481 milhões.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais