SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Importações de alumínio devem atingir 150 mil toneladas este ano

Importações de alumínio devem atingir 150 mil toneladas este ano


Fonte: Valor Econômico (18 de novembro de 2019 )

As importações de alumínio semi-manufaturados estão em franca expansão pelo Brasil. No ano passado, as compras de chapas, folhas e perfis chegaram a 110 mil toneladas. Em 2019, esse volume deve saltar para 150 mil toneladas.

 

O presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Alumínio (Abal), Milton Rego, disse, ao Valor, que com a maior parte desse metal importado vem da China, pois, com as restrições comerciais impostas ao produto chinês em alguns países da Europa e nos Estados Unidos, o escoamento da produção é feito em economias sem salvaguardas.

 

“Hoje, há um excesso de capacidade instalada no mundo de 2,5 milhões toneladas e isso na China. Eles produzem muito mais que o consumo interno e o restante é exportado. Por isso, não me surpreenderia se o ritmo de importação de alumínio chinês pelo Brasil permanecesse o mesmo em 2020”, disse Rego.

 

Segundo ele, o Brasil é importador também de alumínio primário, mas para suprir a produção de semi-acabados no mercado interno. Neste ano, de acordo com estimativas da Abal, essas compras devem girar em torno de 250 mil toneladas.

 

O consumo interno de alumínio neste ano, segundo Rego, deve voltar aos patamares de 2013, o melhor ano para o segmento. De acordo com as expectativas da Abal, as vendas internas devem girar em torno de 1,45 milhão de toneladas, alta de 9% em relação a 2018. Em 2013, o consumo aparente alcançou 1,51 milhão. “Esperávamos uma evolução maior no início deste ano, com alta de pelo menos dois dígitos.”

 

Para 2020, a estimativa da Abal é de um crescimento no consumo interno de 5%, alcançando um volume de 1,5 milhão de tonelada.

 

“Estamos vendo uma recuperação dos mercados. Neste ano, o que sustentou o crescimento foi o segmento de embalagens. Bens não duráveis são menos impactados em crises econômicas. Já os setores de bens de capital e construção civil são os primeiros a sentir e os que tem a recuperação mais lenta. Mas, acreditamos que em 2020 a construção civil, principalmente, deverá apresentar crescimento.”

 

O dirigente ressaltou que a alta dos lançamentos de imóveis residenciais e comerciais neste ano deve se refletir no mercado de alumínio em 2020. “O alumínio é usado no acabamento da obra, demora mais um pouco para sentir essa melhora.”

 

Neste ano, a produção de alumínio deverá atingir 865 mil toneladas, alta de 8,5% no comparativo com 2018. Mas o dirigente ressalva que esse aumento foi em função da volta de parte da operação da Alunorte no Pará. “Esse crescimento se dá em razão de questões internas e não por melhora do mercado. Ainda temos paradas 300 mil toneladas no país sem previsão de volta da operação.”


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais