SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Reforma da Previdência diminuirá benefícios; confira o que muda

Reforma da Previdência diminuirá benefícios; confira o que muda


Fonte: A Tribuna (5 de novembro de 2019 )
Reforma da Previdência diminuirá benefícios (Walter Mello-Arquivo)

Quem não cumpriu as exigências para deixar a ativa ficará sujeito às novas regras para a concessão de aposentadorias no país após a reforma da Previdência ser sancionada, o que deve ocorrer na primeira quinzena deste mês. O mesmo valerá para o trabalhador que precisar de um benefício por incapacidade.

 

A regra para o cálculo de benefícios está incluída no rol das grandes mudanças e, na prática, representará quantias menores no contracheque dos segurados do INSS.

 

“Vai reduzir o valor do benefício, sim. Atendi uma cliente que tem 54 anos e seis meses e, com 31 anos e cinco meses de contribuição, está a praticamente um mês de completar a regra 86/96. Se fosse hoje, teria direito a aposentadoria de R$ 5.301. Após a reforma, serão R$ 4.255”, explica o advogado Henrique Brito.

Isso porque o cálculo da média das contribuições sofreu alteração. Até agora, utilizam-se 80% dos maiores pagamentos feitos à Previdência, jogando-se fora 20% dos menores.

 

Ou seja, quem trabalhou com salários menores por um período e depois passou a contribuir com quantias maiores poderia dispensar até 20% dessas contribuições pequenas, elevando o salário-base de contribuição, explica a advogada Rosineide de Souza Oliveira.

 

Com a mudança, não serão mais dispensadas as contribuições menores. O INSS usará todos os pagamentos no cálculo, corrigindo, atualizando e dividindo pelo total de meses pagos.

 

“Se, em uma época da vida, a pessoa contribuiu com um salário mínimo, ele entrará na conta. Hoje, isso não acontece: as menores [contribuições] são descartadas”, diz Rosineide.

 

A partir disso, se pagará a título de aposentadoria 60% sobre a média. Assim, ocorrerão duas reduções quase simultâneas. Depois, haverá acréscimo de 2% ao ano a partir de 20 anos de contribuição para homens e de 15 para mulheres.

 

Só será possível chegar ao benefício integral com a reforma aos 40 anos de contribuição (homens) e 35 anos (mulheres). “Eles querem que as pessoas trabalhem mais e contribuam mais”, afirma o advogado Décio Scaravaglioni.

 

Sem correria

O segurado que já preencheu os requisitos para se aposentar terá garantida a regra atual para obter o benefício. Até agora, são exigidos 30 anos de contribuição para mulheres e 35 anos para homens.

 

“Não é preciso correria porque quem já tem direito adquirido, mesmo que faça a solicitação depois de a reforma ser promulgada, terá assegurada a lei da época”, esclarece Rosineide.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais