SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Competitividade e desmaterialização: MAR passa a aceitar certificados eletrônicos

Competitividade e desmaterialização: MAR passa a aceitar certificados eletrônicos


Fonte: Revista Cargo (29 de outubro de 2019 )

SDM (Sociedade de Desenvolvimento da Madeira) saudou o facto de já se encontrar em funcionamento o sistema informático que permite emissão de certificados electrónicos dos navios e tripulantes do Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR): recorde-se que a DGRM anunciou que todas as embarcações de bandeira portuguesa passam agora a ter tratamento eletrônico nos dois registos nacionais.

 

«A medida, já utilizada por outros grandes registos europeus, tem sido defendida pela SDM e pelos armadores registados no MAR como factor de competitividade do Registo madeirense», comentou a SDM no seguimento deste progresso, há muito esperado. Esta evolução, lembra, «decorre dos alertas de que a utilização de papéis e de métodos obsoletos na emissão de certificados, atendendo ao elevado número de navios e de tripulantes existentes no MAR, criava graves constrangimentos ao funcionamento e eficácia do mesmo, afectando seriamente a sua competitividade».

 

Recorda a SDM que sempre pugnou pela defesa da implementação de um sistema informático eficaz, que desmaterializasse todo o processo para permitir a emissão de certificados eletrônicos. Num comunicado recente ao setor, a Comissão Técnica do MAR já veio dar nota de que o MAR já está a emitir os certificados eletrônicos há muito pretendidos. Na missiva, é salientado que Portugal considera a introdução da digitalização no transporte marítimo como um desenvolvimento muito relevante, principalmente no que toca à capacidade de acelerar a partilha de informação, melhorar a segurança, a detecção da documentação e a diminuição das despesas administrativas.

 

Os procedimentos e o sistema agora em vigor tomaram em atenção as orientações da IMO para o uso de certificados eletrônicos, tendo sido também implementados meios para as autoridades e entidades competentes poderem verificar prontamente a validade e a legalidade dos certificados e os documentos emitidos pelas autoridades portuguesas. As medidas e a implementação do sistema informático já foram comunicadas à IMO que já partilhou a informação com todos os Estados membros da organização.

 

Os certificados eletrônicos e documentos emitidos pelo MAR serão assinados eletronicamente de acordo com a Legislação Portuguesa, obedecendo à certificação de qualidade digital, com métodos de autenticação do emissor e da integridade dos conteúdos dos documentos. O certificado digital enviado para assinar os documentos eletronicamente é emitido por uma entidade acreditada de acordo com os regulamentos nacionais e da União Europeia. O MAR emitirá documentos onde deverá constar informação e elementos que estarão harmonizados com todos os documentos eletrônicos emitidos pelas autoridades no quadro da Administração Marítima Portuguesa, com o objectivo de assegurar a verificação da sua validade.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais