SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Terminais privados dialogam sobre inovação no setor portuário

Terminais privados dialogam sobre inovação no setor portuário


Fonte: Portos e Navios (28 de outubro de 2019 )

Representantes de terminais portuários privados dialogaram sobre os desafios para inovação no setor de transportes. O diretor de tecnologia e inovação da Suzano, Fernando Bertolucci, avalia que o maior desafio para os empreendedores frente às transformações pelas quais o mundo passa não é tecnológico, e sim cultural. Ele citou estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) que apontou a dificuldade para 43% das empresas entrevistadas conseguirem aplicar tecnologia em seus negócios, percentual que sobe para 57% quando a abordagem foi com empresas de pequeno porte.

 

O executivo defendeu que novas ideias devem surgir de todos os departamentos das empresas, e não somente da área de inovação. “Nossas organizações não enxergam por estarmos apegados a fazer o que sempre fizemos”, apontou o diretor da Suzano durante painel sobre inovação no 6º Encontro ATP, que ocorreu na última quinta-feira (24), no Clube Naval, em Brasília. Na ocasião, Bertolucci falou na necessidade de pró-atividade e radar aguçado para identificar mudanças e estudar o que acontece nos portos, a fim de verificar quais as tecnologias e processos novos estão no horizonte. “Esse estado de alerta vai nos tornar mais eficientes e dar pró-atividade para as mudanças”, analisou.

 

O diretor executivo da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Bruno Batista, percebe que o setor de transportes tem histórico conservador e aos poucos vai se abrindo mais à inovação. Batista observa uma série de obstáculos no trato com governo devido à burocracia e à grande quantidade de órgãos anuentes, o que acaba por dificulta o diálogo. Para o diretor da CNT, o mundo vive um momento de transição energética, caminhando para redução gradativa do uso de energia fóssil e concretização de fontes mais limpas e baratas. Ele acredita que o futuro pode ser mais eficiente e ambientalmente melhor, porém é difícil prever onde esses processos vão chegar. “A única certeza que temos é que vai mudar e devemos estar atentos”, comentou.

 

Na abertura do evento, o diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, recomendou que o setor não olhe somente para os próximos anos, mas para as próximas décadas. “Precisamos ter visão sistêmica dessas mudanças”, enfatizou Barbosa. Ele considera que a transformação do modelo de negócios do público para o privado e o conceito de TUP (terminal de uso privado) permitu mudanças no setor portuário brasileiro nas últimas décadas. Segundo Barbosa, os governos perceberam que precisavam de uma nova fórmula porque o porto público sozinho não era suficiente para suportar o crescimento do transporte de cargas brasileiro. Além do modelo operacional, ele enxerga que os desafios para alcançar eficiência e maiores índices de produtividade e geração de empregos passam pelo aperfeiçoamento da legislação.

 

Durante o painel inovação, a diretora executiva da ATP, Luciana Guerise, disse que a adaptação a essas transformações tecnológicas e conceituais tem velocidades diferentes para o empreendedor e para o governo. O professor e futurista, Tiago Mattos, explicou que a inovação pode ser a criação que demanda do regulador repensar processos já consolidados. “Quando o regulador ainda não conhece o que estamos fazendo, pode ser uma métrica de sucesso”, salientou o palestrante.

 

Mattos observa que a maioria das pessoas está vivendo de passado no tempo presente, presa a antigas amarras e pensamentos. “Quem não pensa sobre o futuro resolve o presente com as ferramentas do passado. Como fazer inovação apegado ao passado ou presente?”, questionou. Ele ponderou que é preciso buscar equilíbrio para não ser extremamente conservador em relação ao futuro, tampouco totalmente disruptivo. O especialista lembrou que é necessário um tempo de estudos e experimentações para que determinada solução se torne uma realidade, o que muitas vezes pode nem vir a acontecer.


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais