SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Exportações de suco de laranja registraram alta de 33% no primeiro trimestre da safra 2019/2020

Exportações de suco de laranja registraram alta de 33% no primeiro trimestre da safra 2019/2020


Fonte: Comex do Brasil (17 de outubro de 2019 )

São Paulo -Os embarques totais de suco de laranja brasileiro (FCOJ Equivalente a 66º Brix), no primeiro trimestre da safra 2019/2020, tiveram uma alta de 33% em relação ao mesmo período da safra passada. Nesta temporada, as exportações somaram 291.767 toneladas, ante as 218.768 do período 2018/2019. Em faturamento, os embarques do período somaram US$ 508,4 milhões, 23% acima dos US$ 414,7 milhões obtidos na safra anterior.

 

Para a União Europeia, principal destino do suco de laranja brasileiro, as exportações totalizaram 225.462 toneladas, uma alta de 56% em relação às 144.299 toneladas embarcadas no mesmo período 2018/2019. Em faturamento, os embarques somaram US$ 401,5 milhões, 48% acima dos US$ 271.145.

 

As exportações para os Estados Unidos caíram: entre os meses de julho e setembro, foram embarcadas 37.106 toneladas de suco de laranja, 16% abaixo das 44.238 toneladas contabilizadas no mesmo período da safra anterior. Em faturamento, a queda atual representou 32%, com US$ 57,8 milhões ante os US$ 84,5 milhões obtidos entre os meses de julho e setembro de 2018.

 

“Com uma maior disponibilidade de suco na praça por causa da grande oferta e com preços depreciados essa recuperação era uma possibilidade, porém, temos que ponderar que a base é baixa visto que no ano passado as exportações não performaram bem”, avalia o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

 

Para os países do continente asiático, Japão e China continuam ocupando a posição de terceiros e quartos principais clientes do suco de laranja nacional. Para o Japão, houve uma queda de embarques na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Nesta temporada, já foram embarcadas 13.270 toneladas, 10% menos que as 14.697 na temporada anterior. Em faturamento, o decréscimo foi de 19%, com US$ 22,4 milhões nesta safra, ante os US$ 27,6 milhões na safra passada.

 

Já para a China, os embarques aumentaram consideravelmente no período: 9.125 toneladas de suco de laranja seguiram para o país, 74% a mais que os embarques registrados no primeiro trimestre de 2018, que foram de 5.255. O faturamento foi de US$ 13.154, 17% acima dos US$ 11.286 do primeiro trimestre de 2018/2019. “Sem dúvida é muito bom que o ano comece nesse ritmo, precisamos torcer para que os embarques continuem nesse ritmo até o fim deste ano safra”, afirma o executivo.

 

Suco Concentrado e Congelado (FCOJ)

Nos primeiros três meses da safra 2019/2020, os volumes de suco concentrado congelado (FCOJ) exportados, para todos os destinos, totalizaram 227.566 toneladas, 38,5% a mais que o volume embarcado no mesmo período do ano passado, 164.252. toneladas. Em faturamento, o FCOJ obteve no atual período, US$ 383 milhões, 23,4% acima dos US$ 310,2 milhões.

Para a União Europeia, 175.913 toneladas de FCOJ foram embarcadas no período de julho até setembro, 65,8% a mais que as 106.042 toneladas exportadas no primeiro trimestre da safra 2018/2019. Em faturamento, o período somou US$ 303,1 milhões, 51% acima dos US$ 200,6 milhões.

 

 

Já para os Estados Unidos, foram embarcadas 22.465 toneladas de FCOJ no primeiro trimestre, uma queda de 19,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o Brasil exportou 27.991 para o país. Nesta temporada, o faturamento somou US$ 30,9 milhões, 39% abaixo dos US$ 50,7 milhões da safra anterior.

 

NFC (Not From Concentrate)

As exportações de NFC, para todos os destinos, também aumentaram nos primeiros três meses da safra 2019/2020, quando comparado ao mesmo período da safra 2018/2019. Em volume, o aumento foi de 14,82%, com 353.105 toneladas ante as 307.526 toneladas. Em faturamento, foram obtidos US$ 125,3 milhões, 20% acima dos US$ 104,4 milhões no mesmo período da safra anterior.

 

Para os países da União Europeia, foram exportadas 272.524 toneladas, 26,28% a mais que as 215.809 toneladas embarcadas entre julho e setembro de 2018. Em faturamento, estes embarques somaram US$ 98,3 milhões, 39,51% acima dos US$ 70.512.404. “O suco não concentrado tem sido a grande estrela das exportações brasileiras”, diz Netto.

 

Para os Estados Unidos, os embarques de NFC no primeiro trimestre de 2019/2020 registraram queda: 80.526 toneladas de suco não concentrado seguiram para este destino, o que representa um decréscimo de 12,14% na comparação com o mesmo período da safra passada, quando foram exportadas 91.649 toneladas. Em faturamento, a queda foi de 20,23%, com US$ 26,9 milhões ante os US$ 33,8 milhões. “A safra americana se recuperou de forma bastante consistente, dessa forma era esperado que houvesse algum tipo de impacto sobre as exportações brasileiras”, avalia o executivo.

 

(*) Com informações da CitrusBR


Mais lidas


Os dados divulgados pela Autoridade Portuária de Santos (APS), em seu balanço operacional de março, apontam um recorde histórico na movimentação de cargas. Foram mais de 15,16 milhões de toneladas que passaram pelos terminais do Porto de Santos, um crescimento de 10,4% comparado com a marca histórica anterior, conquistada em agosto de 2020.   O […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais