SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Segmento dos contêineres desce -4,3% no período Janeiro-Julho e fixa-se nos 1,65 milhões de TEU

Segmento dos contêineres desce -4,3% no período Janeiro-Julho e fixa-se nos 1,65 milhões de TEU


Fonte: Revista Cargo (26 de setembro de 2019 )

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) revelou hoje o balanço da movimentação nos portos do Continente para o período de Janeiro a Julho: em termos globais, registou-se uma descida homóloga de -4,8%, fixada por uma movimentação total de 52,2 milhões de toneladas. Se olharmos apenas para o segmento dos contentores, verificamos uma descida de -4,3%, fruto de uma movimentação de 1,65 milhões de TEU.

 

Contentores: -4,3% com performances negativas de Sines, Setúbal e Lisboa

Nos primeiros sete meses de 2019, o movimento de contentores registou uma quebra global de -4,3% no volume de TEU movimentado para 1,65 milhões de TEU, frisa a AMT: na origem desta performance encontram-se os desempenhos negativos de Sines, Setúbal e Lisboa (-10,9%, -6% e -1%, respectivamente) que anulam as variações positivas registadas em Leixões e Figueira da Foz (com taxas de +11,1% e de +8,8%).

 

Neste segmento, a liderança incontestada do Porto de Sines continua a ser lei: como salienta a AMT, o porto alentejano continua a liderar, detendo uma quota de 53%, seguindo-se Leixões (24,8%), Lisboa (16,3%), Setúbal (5,1%) e Figueira da Foz (0,8%). Será expectável que os registos do Porto de Sines sofram, nos futuros meses, um ligeiro incremento, uma vez que a instabilidade sócio-laboral vivida no Terminal foi já sanada.

 

Transhipment desce mas ainda representa 69,6% da movimentação em Sines

Importa recordar o peso que o tráfego de transhipment representa no volume de contentores movimentados em Sines, que, não obstante ter vindo a diminuir nos últimos meses, acumulando em Julho uma redução de -21,4%, ainda representa 69,6% do total no porto, sublinhou ainda a AMT. Por outro lado, o volume de TEU com origem e destino no hinterland do porto registou um crescimento de +28,2%, parecendo não sofrer o efeito negativo das perturbações laborais vividas no porto alentejano, entretanto já resolvidas.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais