SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   A indústria de Roterdã pode atingir de 20 a 25% da meta holandesa de CO2

A indústria de Roterdã pode atingir de 20 a 25% da meta holandesa de CO2


Fonte: Porto de Roterdã (25 de setembro de 2019 )

A indústria de Roterdã está trabalhando em uma série de projetos com os quais um total de 20 a 25% da meta holandesa de redução de CO2 para 2030 pode ser alcançada. Praticamente todos os projetos exigem que o governo desempenhe um papel ativo. “É exatamente porque tantos projetos de transição estão ocorrendo em uma pequena parte da Holanda que são necessárias soluções personalizadas para essa área. A transição energética é uma questão complexa e muitos dos projetos estão interconectados. Isso exige uma abordagem integrada do cluster e uma estreita cooperação entre o governo, as empresas e a Autoridade Portuária. Se concluirmos todos os nossos projetos em andamento, obteremos aqui três vezes mais redução de CO2 do que seria necessário se a meta de redução de emissões fosse dividida igualmente pela indústria holandesa ”, conclui Allard Castelein.

 

A Autoridade Portuária está apelando ao Ministro Wiebes para que adote uma abordagem orientada a cluster para a transição. Devido à concentração da indústria em uma pequena área, podemos encontrar soluções aqui que não são apropriadas em outros lugares. A interconectividade de vários projetos de transição significa que precisamos coordená-los. Embora, no nível do projeto, o governo e as empresas agora saibam onde se encontrar, falta uma abordagem integrada ao cluster da indústria por parte do governo.

 

Os projetos nos quais a indústria, a Autoridade Portuária e vários outros parceiros estão trabalhando incluem o armazenamento subterrâneo de CO2, o desenvolvimento de redes de calor para aproveitar o calor residual da indústria, a produção de hidrogênio, o desembarque de energia eólica do Norte Mar, o desenvolvimento de infraestrutura adicional para hidrogênio e eletricidade, vários projetos de reciclagem e o aumento da produção de biocombustíveis. O setor de logística também está executando vários projetos, como o transporte terrestre elétrico e o esverdeamento do transporte marítimo.

 

A Autoridade Portuária vê principalmente a proposta do Gabinete para o Acordo Climático como uma oportunidade para acelerar a transição energética; no entanto, também tem dúvidas sobre o documento. Em particular, a introdução proposta do imposto sobre o CO2 em 2021 é uma questão de grande preocupação. A conversão dos processos de produção na indústria não pode ser feita dentro de um prazo tão curto, e ainda existe quase nenhuma infraestrutura necessária para o transporte de CO2, hidrogênio e calor residual. Como resultado, as empresas não conseguem acompanhar o ritmo em que o imposto adicional deve ser introduzido.

 

Três etapas para a sustentabilidade

Os projetos que contribuem significativamente para os objetivos climáticos nacionais fazem parte da abordagem “Três etapas para a sustentabilidade”, desenvolvida no contexto do Acordo Climático. O passo 1 concentra-se na eficiência, aproveitando o calor residual e o armazenamento de CO2 no mar do Norte. O passo 2 envolve o desenvolvimento de um novo sistema de energia baseado em eletricidade verde e hidrogênio, em vez de óleo e gás natural. O passo 3 se concentra no desenvolvimento de processos de fabricação circulares.

 

A ambição da Autoridade Portuária é tornar o porto um líder na transição energética. Isso não só será bom para o clima, mas também poderá beneficiar o clima de negócios. Por exemplo, porque haverá uma rede de CO2, fornecimento de eletricidade verde e hidrogênio, uma rede de calor residual, etc.

 

Explicação do fator três mencionado no primeiro parágrafo:
Em 2018, a indústria holandesa emitiu 54 milhões de toneladas de CO2. Desse total, 15 milhões de toneladas, ou 28%, são provenientes da indústria de Roterdã. A indústria holandesa como um todo tem a tarefa de emitir 14,3 milhões de toneladas a menos de CO2 na atmosfera até 2030. Se isso fosse dividido igualmente entre a indústria holandesa, a meta para a indústria de Roterdã seria de 4 milhões de toneladas. Os projetos atualmente em andamento em Roterdã somam aproximadamente 12 milhões de toneladas de CO2.


Mais lidas


Trabalhar no Porto de Santos é o sonho de muitos estudantes e profissionais. Oportunidades não faltam! Afinal, são várias empresas que atuam nos quase 8 milhões de m² do maior porto da América Latina.   Com toda essa estrutura, logística e evolução tecnológica, as empresas vêm exigindo cada vez mais profissionais altamente qualificados e capacitados. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais