SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Sustentabilidade entra na agenda prioritária dos cruzeiros marítimos

Sustentabilidade entra na agenda prioritária dos cruzeiros marítimos


Fonte: Mercado e Eventos (29 de agosto de 2019 )
Painel sobre sustentabilidade, que acontece pela primeira vez no Fórum da Clia

BRASÍLIA – Finalizando o dia de trabalho do 3° Fórum da Clia Brasil, na sede do Ministério do Turismo, o último painel abordou a sustentabilidade “Navios de Cruzeiros e o Meio Ambiente”. O assunto foi muito debatido ao longo de todo o dia e ficou claro que o meio ambiente e a sustentabilidade entraram de vez na pauta e nas prioridades da indústria de cruzeiros.

 

Para o painel participaram André Germanos, secretário de Ecoturismo do Ministério do Meio Ambiente; Jennyfer Tsai, diretora de Infraestrutura da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp); Bud Darr, Relações Governamentais da MSC; e Viviane Barreiros, especialista da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A mediação do painel foi de Marco Ferraz. Para o presidente da Clia o assunto é uma das prioridades da entidade.

 

O tema é essencial para o sucesso da indústria e as companhias estão comprometidas a implementar normas para a preservação do meio ambiente, como o investimento em tecnologias de combustíveis limpos, reciclagem e tratamento de água e resíduos, que também fazem dos novos navios além de limpos, mais eficientes. “Esse painel foi pensado para falar como tratamos o meio ambiente e dos planos importantes de preservação no nosso setor. Levamos muito a sério o tema e é uma responsabilidade de nossos associados para cada vez ser melhor e mais sustentáveis”, disse.

 

Anvisa – “Vemos claramente que os cruzeiros estão se preparando relacionados a proteção do meio ambiente. A Anvisa tem um estrutura de correlação entre saúde – meio ambiente, que interfere dentro e fora do navio quando fazemos uma avaliação. Cobramos muito que as companhias façam gestão de seus resíduos, por exemplo, mas também com a cidade onde aporta”, disse Viviane.

 

MSC – “Quero quebrar alguns mitos aqui. É verdade sim que os cruzeiros são líderes em redução de carbono e eficiência energética. Os cruzeiros são líderes nos investimentos e na solidez na gestão de seus resíduos, na reciclagem, na inovação e em tudo que contribua para a preservação do meio ambiente. Vale lembrar também que os cruzeiros são os pioneiros em redução do desperdício de água tratada, e que agora esses sistemas estão disponíveis para outros setores. Tenho orgulho de ver tudo o que essa indústria está fazendo  a respeito do tema”, disse Bud.

 

Codesp – “Dos navios que estão chegando nos próximos anos, 60% deles estarão com sistemas de GLV e queremos ser pioneiros em catalizar investimentos para podermos oferecer esse tipo de combustível aos navios no futuro. Além disso, em conjunto com órgãos, estamos planejando neutralizar potenciais risco a saúde e ao meio ambiente, criar um plano de atendimento a emergências. Também temos no porto de Santos um sistema de saneamente e captação de água que abastece 25% da região. Vemos que os cruzeiros estão mesmo comprometidos com o meio ambiente e em relação os resíduos dos navios vemos uma destinação correta deles que é inclusive usado como parâmetro para implementar em outros portos”, disse Jennyfer.


Mais lidas


Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais