SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Copersucar: O caminho do açúcar, o produto chega ao cliente

Copersucar: O caminho do açúcar, o produto chega ao cliente


Fonte: Copersucar (20 de agosto de 2019 )

Encerramos a série de três reportagens sobre a trajetória do açúcar falando um pouco mais sobre o cliente? Após criteriosos processos de produção e logística, pautados por qualidade e eficiência, o açúcar já pode ser encaminhado para uma grande variedade de produtos.

 

O açúcar branco é largamente utilizado na indústria de alimentos para fabricação de itens como balas, bebidas, refrescos em pó e lácteos. Já o açúcar cristal bruto é mais utilizado no mercado industrial na produção de derivados mais específicos, como glutamato monossódico, polióis, ácido cítrico, ácido lático e açúcares líquidos, entre outros.

 

Segundo o gerente Comercial Açúcar MI, Marcelo Soares, o segmento de bebidas é o maior consumidor: “A maior fatia das vendas de açúcar branco na Copersucar é destinada a produção de refrigerantes, como a Coca-Cola por exemplo, nosso principal cliente nesse setor”, explica. O açúcar enviado para empresas de refrigerante passa por fases de tratamento e refino, que consistem, basicamente, na filtração para retirada de resíduos insolúveis e remoção de cor. Após ser diluído em água previamente tratada e aquecida a aproximadamente 70 °C, a solução é filtrada e tratada com resinas específicas para remoção de cor, formando o chamado xarope simples, que de acordo com as características industriais da fábrica de refrigerantes, pode conter de 54% a 67% de açúcar.

 

Ao xarope simples é adicionada a fórmula concentrada do sabor pretendido. Os concentrados contém os agentes de sabor, aroma e cor, além de estabilizantes, acidulantes e conservantes, podendo ou não conter suco de fruta conforme o sabor. O resultado é denominado xarope composto, que será diluído em água carbonatada (gaseificada). A diluição do xarope composto reduz a concentração de açúcar na fórmula final para a faixa de 10%. Para maior eficiência da carbonatação, a água tem a temperatura reduzida para próximo a 2 °C. O refrigerante segue, então, para envase e comercialização.


Mais lidas


  Na última sexta-feira (08) o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (SOPESP) recebeu, na sua sede, o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (MInfra), Mario Povia.   Essa foi à primeira visita do secretário a entidade desde que assumiu a pasta, em maio deste ano, e […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais