SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Diretoria da Codesp aprova retirar patrocínio do Portus

Diretoria da Codesp aprova retirar patrocínio do Portus


Fonte: A Tribuna (19 de agosto de 2019 )
Os atuais participantes do Portus serão convidados a mudar de plano de pensão (Carlos Nogueira/ AT)

A Diretoria Executiva da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) aprovou na sexta-feira (16) a retirada do patrocínio do Portus, o fundo de previdência complementar dos funcionários das Docas.

 

Com isso, seria possível apartar compromissos, dando garantias de que a estatal não assuma dívidas e obrigações de outras patrocinadoras, assegurando o cálculo do valor individual de cada participante do plano.

 

Para que a retirada do patrocínio seja efetivada, a proposta ainda deve ser aprovada pelo Conselho Administrativo da Codesp (Consad), que deve se reunir na próxima semana, e ser autorizada pela Secretaria de Empresas Estatais (Sest) e pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

“O caminho é longo e temos pouco tempo para viabilizá-lo antes da decretação da liquidação”, disse o presidente da Codesp, Casemiro Tércio Carvalho.

 

Nos últimos meses, estudos foram feitos para resolver, momentaneamente, a crise do Portus. Um plano, envolvendo o aumento da contribuição dos trabalhadores na ativa e a redução dos valores dos benefícios, chegou a ser apresentado, mas não teve a aprovação dos sindicatos da categoria em outros portos. Segundo a Advocacia-Geral da União (AGU), sem um consenso, a medida não pode ser adotada, o que levou a Codesp a pensar em uma alternativa para evitar que a liquidação do fundo de previdência prejudique os beneficiários.

 

De acordo com a Docas, na retirada do patrocínio, a Autoridade Portuária faz o pagamento aos participantes em função do valor da reserva matemática (que é maior do que a reserva de contribuição), descontando-se a parcela do déficit de responsabilidade do trabalhador ao final do processo administrativo. Já no caso da liquidação, a estatal afirma que não está claro como será o pagamento.

Os cálculos sobre créditos dos participantes do plano serão feitos pelo Portus e consultoria atuarial contratada.

 

A ideia é que seja criado um novo fundo previdenciário exclusivo para seus funcionários, aposentados e pensionistas. Os atuais participantes do Portus – são 4.800 na região – serão convidados a mudar de plano de pensão. Se não desejarem, vão receber uma quantia relativa a suas contribuições.

 

A Codesp aguarda uma posição da Caixa Econômica Federal, sondada, juntamente com o Banco do Brasil, para assumir a gestão do novo serviço.

 

O impasse

Com dívidas crescendo (cerca de R$ 3,5 bilhões de déficit e com caixa de menos de R$ 250 milhões), em 2011, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) decretou intervenção no fundo de pensão.

 

“Tempo é o que não temos”

Mesmo com a possibilidade de retirada do patrocínio da Codesp e criação de um plano previdenciário próprio, o Sindicato dos Trabalhadores na Administração Portuária (Sindaport) não descarta sensibilizar os sindicatos do Rio de Janeiro, Pará e Alagoas, que não foram favoráveis ao acordo inicial proposto pela Associação de Participantes do Portus (APP).

 

“Essa proposta (de retirada do patrocínio) implica em alguns percalços e esse trâmite demora. Tempo é o que não temos e o nosso medo é que falte dinheiro para os pagamentos dos beneficiários”, explica o vice-presidente do Sindaport, João de Andrade, que estima que o trâmite no Governo Federal possa levar entre 6 meses a um ano.

 

Ele acredita que se os três sindicatos concordarem com o plano apresentado no início deste ano, a AGU possa aprovar o acordo, o que resultaria em uma garantia de mais tempo para que se pudesse planejar uma solução definitiva com mais tranquilidade.

 

“Seria um respiro de 24 meses para que se pudesse estruturar a retirada de patrocínio, sem o risco da liquidação e sem a preocupação de que os beneficiários deixassem de receber”, avalia.


Mais lidas


Trabalhar no Porto de Santos é o sonho de muitos estudantes e profissionais. Oportunidades não faltam! Afinal, são várias empresas que atuam nos quase 8 milhões de m² do maior porto da América Latina.   Com toda essa estrutura, logística e evolução tecnológica, as empresas vêm exigindo cada vez mais profissionais altamente qualificados e capacitados. […]

Leia Mais

Os assistidos pelo Instituto Portus de Seguridade Social, o fundo de pensão dos portuários, obtiveram importante vitória na Justiça. O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos, concedeu liminar em que determina a suspensão do aumento na contribuição dos participantes da ativa e aposentados.   A ação civil pública foi promovida […]

Leia Mais

Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

Por causa da curvatura da Terra, a distância na qual um navio pode ser visto no horizonte depende da altura do observador.   Para um observador no chão com o nível dos olhos em h = 7 pés (2 m), o horizonte está a uma distância de 5,5 km (3 milhas), cada milha marítima igual a 1.852 […]

Leia Mais