SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Copersucar – O caminho do açúcar: logística conecta o campo ao mundo

Copersucar – O caminho do açúcar: logística conecta o campo ao mundo


Fonte: Copersucar (6 de agosto de 2019 )

Na segunda reportagem da série especial sobre o caminho que o açúcar percorre desde que deixa o campo até ganhar o mundo, abordaremos a comercialização e a logística após o criterioso processo de produção nas Usinas (leia a primeira reportagem da série que trata sobre o tema aqui).

 

Imediatamente antes do envase, amostras do açúcar cristal são analisadas em diversas categorias de qualidade para ser classificado em determinadas especificações ou tipos de açúcar, baseado nas características adequadas a cada uma das suas aplicações, como refrigerantes, bebidas lácteas ou balas, por exemplo, independentemente se o açúcar será comercializado para clientes do mercado interno ou externo. “A decisão de produção da Usina gera impactos fundamentais na cadeia logística, como a necessidade de aquisição ou não de embalagem, mas, principalmente, as condições e a disponibilidade de armazenamento”, informa o gerente Comercial Açúcar MI, Marcelo Soares.

 

O produto destinado à exportação é enviado, principalmente, ao Oriente Médio, norte da África e Ásia e envolve uma complexa infraestrutura logística, formada por uma rede de transporte rodoviário, ferroviário e marítimo, integrada por terminais, próprios e contratados, para transbordo e armazenagem do açúcar, principalmente a granel.

 

Se o açúcar, porém, for comercializado para o mercado doméstico, a Copersucar define os clientes-alvo, a arbitragem de canais de venda e a estratégia de comercialização. As vendas realizadas dentro do Brasil utilizam, principalmente, o modal rodoviário. Cerca de 90% do açúcar da Copersucar é comercializado na região Centro-Sul. “Os mercados no Norte e no Nordeste ainda são minoritários, mas algumas particularidades como forma de apreçamento e certificações garantem nossa presença também nessas regiões”, declara Marcelo.

 

Todos os armazéns usados pela Copersucar são submetidos à rigorosa verificação de segurança de alimentos, como controle de pragas, por exemplo, para estarem aptos a receber nossos produtos industriais. Nos Terminais próprios, uma empresa supervisora independente  responsável por coletar amostras, acompanhar a descarga e analisar o açúcar, a fim de verificar o cumprimento das especificações.

 

Para atendimento dos clientes industriais, “a Copersucar negocia com o cliente o modelo logístico, que pode ser totalmente assumido pelo comprador do açúcar ou conduzido pela companhia”, explica Marcelo. “Com foco em eficiência e incremento de produtos e serviços ao cliente, estamos trabalhando em conjunto com a Logística para ampliar nossa participação nas operações de transporte no mercado interno por meio da Sugar Express.”

 

VOCÊ SABIA? Nem todas as Usinas da Copersucar atendem aos clientes do mercado interno. As Usinas optam dentre os produtos definidos pelo portfólio da Copersucar conforme sua própria vocação, estrutura e análise de risco.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais