SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Porto Buenos Aires: Administração Geral de Portos estabelece novas tarifas para navios

Porto Buenos Aires: Administração Geral de Portos estabelece novas tarifas para navios


Fonte: Mundo Marítimo (1 de agosto de 2019 )

A Administração Geral de Portos (AGP) estabeleceu um novo cronograma tarifário para os serviços no porto de Buenos Aires, na Argentina.

 

A medida modifica as regras de aplicação, valores e estrutura tarifária que foram aprovadas em 2017 para serviços de uso portuário e doca para embarcações de cabotagem, certificados de navio, embarcações de demolição, embarcações inativas e serviços para encargos, de acordo com o InfoCampo.

 

Dessa forma, as novas tarifas foram anunciadas por meio da resolução 98/2019, publicada na quarta-feira, 31 de julho, no Diário Oficial da União, o AGP determinou que, com a intenção de desestimular a permanência dos navios inativos, é necessário incluir uma sobretaxa para os navios e cabotagem naval ou dispositivos estrangeiros inscritos no Porto de Buenos Aires.

 

Nessa linha, considerou-se apropriado estabelecer uma sobretaxa pela permanência prolongada de qualquer navio e cabotagem naval ou dispositivo ultramarino que não realize operações nas instalações do Porto de Buenos Aires, a fim de limitar tais estadias.

 

O AGP também considerou conveniente agrupar em uma tarifa única os navios e artefatos navais, de cabotagem ou ultramarinos que tenham entrado no Porto de Buenos Aires em situação de desarmamento, desmantelamento, construção ou grandes reparos, estabelecendo uma sobretaxa similar à aplicada na tarifa. inatividade, conforme relatado pelo Grupo Provincia.

 

Nova taxa

A resolução estabelece as tarifas para serviços de uso portuário para embarcações de cabotagem sem um certificado de uso frequente, US $ 0,075 por tonelada de registro líquido (TRN) para cada entrada, e um mínimo a ser liquidado de US $ 33; e para o uso da doca, US $ 0,0250 TRN diários e um mínimo a ser liquidado de US $ 11 por dia.

 

Enquanto, por certificado trimestral, no caso de navios de cabotagem com certificado de uso frequente, a alíquota será de US $ 1,19 por tonelada para navios em geral; US $ 3.500 para passageiros e US $ 700 para rebocadores.

 

O serviço de carga custará US $ 0,775 a tonelada a granel e US $ 0,3125 a unidade de peso a granel. Enquanto outros tipos de carga, como combustíveis, óleos não vegetais, álcoois e produtos químicos, pagarão US $ 0,260 por tonelada; e areia, terra, pedregulho e pedra, US $ 0,1375.

 

Quanto aos navios em situação de inatividade, desarmamento, desmantelamento, construção ou grandes reparos, será cobrado um mínimo de US $ 800 por mês.

 

Com relação à permanência prolongada, haverá um acréscimo na tarifa básica de 10% de 16 a 30 dias; 20% de 31 a 45 dias; 30% de 46 a 60 dias; de 40% de 61 a 75 dias; 50% de 76 a 90 dias; de 60% 91 a 105 dias; 70% de 106 a 120 dias; 80% de 121 a 135 dias; 90% de 136 a 150 dias e 100% a partir de 151 dias.


Mais lidas


Através de um investimento de 100 milhões de euros, a Tesla irá entregar os dois primeiros navios porta-contêinereselétricos à Holandesa Port-Liner, em Agosto.   Após a entrega, a Tesla entregará ainda mais seis navios com mais de 110 metros de comprimento, com capacidade para 270 contentores, que funcionarão com quatro caixas de bateria que lhes […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais